Política

Secretária de Saúde de Cuiabá deixa cargo e prefeito busca medidas para conter crise e desgastes

Elizete Lúcia Araújo não é mais secretária de Saúde da capital. A crise da falta de medicamentos em diversas unidades de saúde e falta de materiais básicos para os profissionais atenderem pacientes e desempenharem suas atividades, além da superlotação no pronto-socorro trouxeram muitos desgastes para a gestora. O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) estava descontente com o trabalho dela, informa o Gazeta Digital.

Ele poderá anunciar hoje quem será o novo secretário e quais medidas a prefeitura tomará para resolver os graves problemas na saúde pública da capital que estão trazendo desgastes também para o prefeito. Emanuel estaria também propenso a mudar diretores e coordenadores no segiundo escalão da secretaria. 

Elizete esteve, há poucos dias, na câmara, prestando contas das ações de saúde e a prefeitura foi criticada por alguns vereadores pelos problemas que persistem no setor. Questionada sobre a falta ou a entrega fracionada de 249 medicamentos, ela ressaltou que esses atendimentos vindos do interior, aliado à falta de repasses estaduais para a pasta, refletiram diretamente no estoque, planejamento e aquisição de medicamentos. Ela disse, no último dia 27, que a prefeitura autorizou compra emergencial no valor de R$ 30 milhões para sanar o quanto antes o problema e outra, na modalidade de pregão, no valor de R$ 130 milhões, para assegurar à população cuiabana a entrega contínua dos cerca de 800 itens de responsabilidade do município, até o fim de 2019.

(Atualizada às 12:14h)