Política

R$ 30 milhões destinados para pagar despesas operacionais da PM

O Governo do Estado, priorizando as ações na área da segurança pública do Estado, irá destinar R$ 30 milhões para o orçamento da Polícia Militar, de 2006, que serão aplicados no custeio das atividades da corporação. O anunciou da previsão orçamentária foi feita pelo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Célio Wilson, e comandante geral da Polícia Militar, coronel Leovaldo Salles, durante solenidade de posse do novo secretário adjunto de Segurança Pública, coronel Carlos Estevão, e do coordenador do Sistema Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), coronel Antônio Moraes. A solenidade foi realizada nesta terça-feira (09.08) pela manhã, no auditório Comando Geral da PM, e contou com a presença do governador Blairo Maggi.

“É um orçamento recorde na história da instituição”, informou o secretário Célio Wilson. “Esses R$ 30 milhões é só para o custeio, se formos somar os recursos vindos de outras secretarias do Estado e órgãos como Detran, os investimentos ultrapassarão em muito esta cifra”, explicou. Como exemplo de recursos vindo de outras Pastas, o secretário citou o investimento nesse ano de mais de R$ 10 milhões para compra de veículos, com recursos destinados pelo Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran).

Para o comandante geral da PM, esses investimentos, mais o reforço de pessoal, com formatura recente de 180 novos policiais militares, são importantes para o desenvolvimento das atividades pela corporação. “Estes 180 policiais militares que iniciam a carreira nos traz muita esperança”, disse o comandante sobre a renovação dos quadros da instituição.

Durante a solenidade o governador Blairo Maggi destacou que a melhoria do serviço de segurança pública também depende do envolvimento e mudança de comportamento da sociedade. “Nós somos responsáveis pela segurança, mas sozinho nós não damos conta. Nós precisamos ter a sociedade junto conosco, nesse grande mutirão de melhorar a segurança pública”, enfatizou.

De acordo com governador, é em vista dessa parceria de polícia e comunidade que o Estado tem investido na interiorização dos serviços de segurança pública e instalação de Companhia de Polícias Comunitárias. “Mato Grosso é um dos Estados pioneiros no modelo de Polícia Comunitária”, disse.

Como aposta neste modelo de policiamento, o governador informou que o Estado está buscando junto a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) a implantação de um curso de pós-graduação em Polícia Comunitária, para ser realizado pela Universidade Federal de Mato Grosso, em Cuiabá. “É um projeto embrionário, mas tenho certeza de que vai acontecer no sentido de disponibilizarmos para polícia militar de Mato Grosso e de outros Estados, o mesmo procedimento, a mesma formação”, informou. “Acho que a segurança pública tem muito a ganhar com este modelo que será implantado”, afirmou.

Para discutir este modelo de policiamento será realizado entre os dias 17 e 19 de agosto, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, o Fórum Internacional de Polícias Comunitária, onde será demonstrada as experiências dos seguintes países: Canadá, Estados Unidos, Espanha, Chile, França e Japão.

Tomou posse como secretário adjunto de Segurança Pública da Sejusp o coronel Carlos Estevão, que deixa o Comando Regional da Polícia Militar de Tangará da Serra. A ex-secretária adjunta de Segurança, delegada Thaís Camarinho, assumiu a secretaria adjunta de Gestão de Planejamento e Modernização da Sejusp, criada recentemente. “A secretaria passou por uma nova estruturação. O nosso plano na secretaria adjunta de Gestão será voltado para implementação de novos projetos, antever os problemas e buscar soluções”, explicou Thaís Camarinho.

Como coordenador do Ciosp assumiu o tenente coronel PM, Antônio Moraes, em substituição a delegado Márcio Cambaúba. tenente coronel Moraes deixa o comando do 18º Comando Regional de Área de Diamantino para assumir a nova função.

Durante a solenidade o governador Blairo Maggi comunicou que neste final de ano não haverá mudança no comando geral da corporação, como houve nos dois primeiros anos do Governo, como parte da política de renovação do comando. O governador explicou que esta decisão foi após análise de que é necessário um tempo maior para um trabalho mais duradouro. “A troca anual gera expectativa e às vezes frustra porque o tempo é muito curto”, explicou.