Política

Programa Nacional de Prevenção à Corrupção tem 100% de adesão dos órgãos estaduais

Os 32 órgãos e entidades do governo de Mato Grosso aderiram ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC), da Rede de Controle da Gestão Pública e todos os setores da administração pública direta e indireta demonstraram disposição em aprimorar seus mecanismos de controle e integridade para que os gestores tenham mais segurança em suas decisões. “Isso evidencia que a alta gestão estadual está comprometida com a cultura da integridade, voltada à conduta ética e correta tanto de servidores quanto de fornecedores e de toda a sociedade”, avalia o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida.

A chefe da Unidade de Integridade e Governança da Controladoria Geral do Estado (CGE), Cristiane Laura de Souza, acrescenta que a adesão das organizações ao programa acelerará a implantação de ações de integridade, não apenas para prevenir corrupção, fraudes e irregularidades, mas também para fomentar a governança, a entrega de resultados de forma íntegra e eficiente. “Vamos avançar nesses aspectos, fortalecendo os pilares de integridade e aperfeiçoando os órgãos e entidades para que cada vez mais entreguemos serviços de forma íntegra e eficaz à população”, declarou.

O PNPC possibilita às organizações públicas diagnóstico de suscetibilidade à corrupção por meio do preenchimento voluntário de autoavaliação via plataforma online e-Prevenção. O chefe de cada organização recebeu e-mail com uma senha de acesso ao sistema para o preenchimento de questionário, composto por perguntas relativas aos mecanismos de prevenção, detecção, investigação, correção, monitoramento, transparência e investigação de ilícitos. Para cada questão respondida foi anexada a correspondente evidência (link, texto e/ou arquivo).

O diagnóstico de cada organização resultará na emissão de plano de ação com sugestões adequadas às necessidades da instituição para a melhoria contínua na prevenção à corrupção. Também oferecerá, por meio do sistema e-Prevenção, orientações e modelos para a implantação de controles adequados para cada realidade, dentro do que há de mais moderno em integridade pública.

A plataforma e-Prevenção ficará permanentemente à disposição do gestor para que possa auxiliá-lo no acompanhamento do progresso de sua organização. Contudo, nesta primeira rodada, o questionário ficou disponível para preenchimento até ontem. Além de prestar auxílio aos órgãos e às entidades do governo de Mato Grosso na adesão ao PNPC, a controladoria foi uma das primeiras instituições públicas do Estado a ingressar no programa, como forma de incentivar as demais na melhoria dos controles e da integridade em suas rotinas.

O PNPC é uma iniciativa inédita da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro com coordenação e execução pela Rede de Controle da Gestão Pública, por meio do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU).

Desde 2018, já há a previsão legal (lei estadual 10.691/2018) de implementação de programas de integridade pelos órgãos e entidades do Governo de Mato Grosso, visando ao aperfeiçoamento da prevenção, detecção e combate à ocorrência de atos lesivos previstos na Lei Anticorrupção.

Para auxiliar as secretarias na elaboração dos planos de integridade, a CGE criou um setor específico em sua estrutura organizacional. A unidade também a acompanha junto a empresas que celebram acordo de leniência com o Poder Executivo Estado a implementação de programas de integridade como instrumento de prevenção à corrupção.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)