Política

Professores rejeitam proposta de parcelamento e cogitam greve em Alta Floresta

A secretária de Educação, Irene Duarte, não cumpriu o que havia acordado com os professores da Rede Pública Municipal, no dia 7 de maio deste ano, quando os profissionais da educação se propuseram a fazer greve para forçar a prefeitura a pagar o salário do mês de dezembro de 2004 e fazer a reposição salarial.
Na reunião de maio, Irene Duarte argumentou que a secretaria não tinha recursos e “conclamou” aos professores para que incentivassem as famílias de seus alunos à pagarem o IPTU, sob a promessa de que parte do imposto seria revertido para o pagamento dos salários dos profissionais. Na oportunidade, uma professora chegou a se levantar e indagar se a promessa de pagar com o IPTU não era uma enganação à classe. A secretária garantiu que até o final de junho o pagamento estaria normalizado.

Mas, a promessa não cumprida com os professores não foi a única do ano. Em meados de janeiro, a administração municipal havia se comprometido em dividir o pagamento de dezembro em três parcelas e que estaria quitando os compromissos atrasados. Não cumpriu.

A terceira promessa a cerca do mês de dezembro de 2004, veio sob forma de um ofício encaminhado pela secretaria ao Sindicato e, não se sabe por esquecimento ou não, a proposta era de pagar o salário dividido em três pagamentos, nos meses de julho, agosto e setembro, mas não mencionava de que ano. A descoberta causou uma gargalhada generalizada entre os participantes.

Entre as propostas apresentadas pela secretária Irene Duarte à classe, os professores aceitaram a proposta de Progressão e elevação de classe aos efetivos e da realização de um Fórum Municipal para discussão e reestruturação da Educação na Rede Municipal.

Porém os professores resolveram rejeitar a proposta de pagamento do de dezembro como proposto e vão encaminhar documento à secretária Irene Duarte.

Os professores não aceitaram também a proposta de reposição salarial. Em maio ficou combinado que a secretaria iria dar aumento de 9% já com acumulado deste a data base. Mas a secretária “mudou de idéia” e agora propõe que o aumento seja de 7,28% apartir de julho.

“Os profissionais da rede municipal de Educação rejeitaram parcialmente a proposta da secretária de forma que a categoria após analisar bem achou que a classe perderia muito com essa reposição, os outros dois pontos da proposta foram aceitos mas a categoria entendeu que as perdas salariais são muito maiores acumulados, e exigem o pagamento imediato da folha de dezembro e a reposição que era de 9 pontos percentuais até maio de 2005, e o que a Secretaria propôs é de 7,28, e outros índices serão fechados e fecha hoje 9.86 %”, disse a presidente do Sintep Ilmarli Teixeira, revelando que o Sindicato estará marcando uma audiência com a secretária de Educação para reivindicar em nome da categoria.