Política

Produtores de Sorriso e Vera debatem regularização com secretário de Assuntos Fundiários da Presidência

Os produtores rurais dos assentamentos Jonas Pinheiro, em Sorriso, e Alto Celeste, em Vera participaram ontem de uma reunião com o secretário de Assuntos Fundiários da Presidência, Luiz Antônio Nabhan Garcia para debater embargos e problemas judiciários relativos aos dois assentamentos. Mais de 400 famílias moram nos assentamentos. Os prefeitos Ari Lafin e Moacir Giacomelli, além de vereadores também participaram do encontro.

Garcia destacou que a regularização fundiária é pauta prioritária do Governo Federal. “Onde há regularização fundiária há segurança jurídica e onde há segurança jurídica há segurança econômica e social”, pontuou o secretário. “Especificamente em relação ao Jonas Pinheiro e ao Alto Celeste o Ari e o Giacomelli têm nos cobrado essa pauta; faremos tudo o que for possível dentro da legalidade e do alcance federal. Há situações específicas que cabem ao Intermat (Instituto de Terras de Mato Grosso), por exemplo”, explicou.

Para o prefeito de Sorriso, a vinda de Nabhan Garcia demonstra o respeito do governo Federal pela rede da agricultura familiar. “Essa era uma pauta que estava programada para ser discutida em Brasília; mas, pelo respeito que o governo tem por Sorriso o secretário de Assuntos Fundiários veio até aqui, ao encontro do problema e discutiu com a sociedade local todos os pontos. Aliás, nos últimos dias tivemos a visita tanto da ministra Teresa Cristina quanto do ministro Ônix Lorenzoni, o que demonstra uma grande valorização da nossa região”, afirmado ainda que o secretário deverá fazer uma “força tarefa entre o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e o Intermat na busca da regularização do Jonas Pinheiro e do Alto Celeste”.

O secretário-adjunto de Agricultura e Meio Ambiente de Sorriso, Márcio Kuhn, pontuou que o encontro debateu as ações do Incra nas esferas ambiental e judicial, além de discutir especificamente a regularização jurídica dos dois assentamentos. “Pautas como a localização da área, georreferenciamento, pagamento da área, registro de matrículas e embargos ambientais foram discutidas ontem. Essas questões precisam ficar claras para todos nós”, disse. Márcio lembrou que a regularização foi um dos pedidos apresentados pessoalmente à ministra Tereza Cistina quando do lançamento do plantio da safra 2021/2022 e também ao senador Wellington Fagundes. “Estamos buscando apoio em todas as esferas”.

Para o produtor Márcio Manoel da Silva, que desde 2001 reside no Jonas Pinheiro, o encontro teve um sabor de esperança: a esperança de trazer um resultado positivo para os agricultores que há 20 anos estão no local e que precisam “colocar a cabeça no travesseiro com a segurança de que poderão continuar produzindo; de que será possível realizar financiamentos; de que realmente seremos donos das nossas terras”.

Redação Só Notícias