Política

Prefeitos no Nortão pedem a Mauro para comércio funcionar até às 21h e toque de recolher às 22h

A reunião entre os prefeitos integrantes do Consórcio Público de Saúde Vale do Teles Pires foi encerrada, há pouco. Os gestores se reuniram on-line e agora elaboraram carta de intenção ao governador Mauro Mendes (DEM) pedindo a flexibilização em alguns pontos do decreto que vigora a partir das 4ª feira.

Eles solicitam que as empresas possam funcionar até as 21h de segunda a sábado. O decreto limita até as 19h de segunda a sexta e aos sábados até meio dia. Aos domingos, os prefeitos pedem que o comércio possa funcionar até às 14h – o decreto prevê até meio dia. Quanto ao toque de recolher, o pedido é para ser a partir das 22h – o governo estabeleceu às 21h.

O consórcio esclarece que, enquanto o governo não responder aos pedidos, os moradores devem seguir o que prevê o decreto estadual.

O prefeito Roberto Dorner declarou que “é compreensível a decisão do governador”,  mas “com o horário definido no decreto, os comércios que atuam a noite não poderão nem sequer abrir as portas para fazer seu giro financeiro e, em poucos dias, isso irá acarretar danos a toda essa classe, atingindo diretamente a economia do município”. “Precisamos tomar algumas medidas para frear o vírus, mas na minha opinião essa é muito radical, diante o cenário de Sinop”.

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Miguel Vaz, disse que as “essas alterações visam auxiliar o comércio. Estamos fazendo a nossa parte, solicitando ao governador que a nossa realidade é um pouco diferente da capital, por exemplo, que ele atende nosso pedido aqui para a região”. “Esse documento deve chegar às mãos do governador agora pela manhã (nesta 4ª) e gostaríamos de ter a resposta ainda durante o dia. A gente realmente espera do governador que nos atenda, tendo em vista nossa realidade. Acho que temos todas as condições, estamos provocando para que o governador olhe para nossa região diferente das demais ou da capital”.

Miguel ainda acrescentou que a extensão do horário também evita aglomerações. “No momento que você encurta, reduz o horário de atendimento obviamente você vai ter mais aglomeração porque as pessoas precisam ir comprar. Agora estamos exatamente na virada de mês, onde as pessoas recebem seus salários e precisam ir às compras, pagar suas contas. Há uma tendência muito forte desses próximos dias o movimento ser muito maior”, completou.

O prefeito de Sorriso, Ari Lafin, acrescentou que “a questão dos horários dos supermercados aos sábados, entendemos que deve ser estendido porque até às 12h haverá uma aglomeração de pessoas na busca de comprar produtos e isso vai trazer um problema ainda maior na questão das infecções”, explicou, ao Só Notícias.

“Estamos sugerindo através de uma carta formada aqui em Sorriso, das entidades, para que seja estendido até às 23h30 o toque de recolher e pedimos para que os restaurantes e quem serve refeições possam estar trabalhando com plano de contingencia de até 50% de ocupação, restringir os espaços, mas fazer com que as refeições possam ser servidas porque é um setor que movimenta empregos”, salientou.

Por outro lado, dezenas de prefeitos decidiram seguir todas as decisões do decreto. Os gestores de Várzea Grande, Tangará da Serra e a diretoria da Associação Mato-grossense dos Municípios aprovaram as medidas.

Conforme Só Notícias já informou, foi estabelecido pelo governo do Estado que as empresas vão poder funcionar das 5h às 19h de segunda a sexta-feiras. A partir das 21h até às 5h, as pessoas não podem circular. As empresas aos sábados funcionarão das 5h às 12h, bem como aos domingos. As medidas são impositivas aos 141 municípios a partir de amanhã e seguem pelos próximos 15 dias.

Algumas medidas do decreto

• De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia e telefone.

• Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

• Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite 30% da capacidade do local, e número máximo de 50 pessoas.

• Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 23h.

• O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

• Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

• Projeto de lei que prevê multa a pessoas físicas e às empresas que descumprirem as normas, bem como notificação à Polícia Civil e Ministério Público.

• Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: arquivo/assessoria - atualizada 10:27h em 3/2)