Política

Prefeito avalia como “corajosa e histórica” decisão de Mauro para expandir Ferronorte até Lucas do Rio Verde

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Miguel Vaz disse, durante apresentação do edital de chamamento público do governo do Estado, para expandir a Ferronorte com trilhos de Rondonópolis a Cuiabá e na segunda etapa a Nova Mutum e Lucas, que foi corajosa e histórica a decisão do governador Mauro Mendes. “Isso vai trazer além da geração de empregos diretos, muita agregação de valor, geração de oportunidades em toda a região, em todos os municípios por onde a ferrovia vai passar”, declarou.

Ele destacou ainda que o chamamento é um grande passo para o desenvolvimento e caberá aos prefeitos prepararem os municípios para receberem os investimentos que virão com a chegada da ferrovia. “Esse é o ponto ainda mais importante. As ferrovias tornam o estado de Mato Grosso mais competitivo, o Brasil mais competitivo, então não ganha só o setor produtivo da produção básica, se ganha no setor industrial, produção, na transformação, e a competitividade é para o Brasil. Esse governo é o governo do fazimento”.

Ontem, o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas avaliou positivamente o chamamento público apresentado pelo governador Mauro Mendes.

Conforme Só Notícias já informou, o chamamento para fazer a ferrovia estadual , que tem principal base em Rondonópolis (fazendo ligação com São Paulo) ligará a Cuiabá (extensão aproximada de 200 km) e, posteriormente, a Nova Mutum (cerca de 200 km da capital) até Lucas do Rio Verde. Deverão ser investidos cerca de R$ 12 bilhões para operação em 40 anos. Com isso, deverá gerar mais de 235 mil empregos, mais de 700 quilômetros de trilhos com 60 pontes e viadutos.

A empresa deve iniciar a obra em até seis meses após assinatura do contratado. Quem vencer ficará obrigado fazer todo o bloco interligando os municípios. Dessa forma interligará ao terminal em Rondonópolis, reduzindo o custo da produção agrícola gerando mais competitividade.

A conclusão do terminal em Cuiabá deverá ocorrer até o segundo semestre de 2025 e, em Lucas do Rio Verde passando por Nova Mutum, até 2028. A empresa deverá apresentar um relatório característicos ao modal, estimativa do projeto com valor do mercado e capacidade financeira com até 10% da obra.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: Mayke Toscano/assessoria)