Política

Prefeito de Cuiabá diz que grupo tenta impedir reeleição pensando no governo

Mesmo com a boa avaliação popular e com chances de reeleição, um grupo muito próximo ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), defende um recuo na tentativa de permanecer no Palácio Alencastro em 2020 para preservar a boa imagem e disputar o governo do Estado em 2022. No final de semana o prefeito reconheceu a “tese” dos amigos, mas rechaçou a possibilidade e disse que tenta demover os defensores da ideia.

“Isso existe. Existe um sentimento muito grande no meu grupo para que isso aconteça, mas eu estou ‘descontaminando’ isso ai. Primeiro que não existe antes de um processo eleitoral você estar pensando em outro. Todo mundo que se prepara para entrar em 2020 pensando em 2022 já dá o primeiro passo para a derrota”, declarou Emanuel

Embora esteja trabalhando para a reeleição, inaugurando obras, mesmo que pequenas, em quase todos os finais de semana, Emanuel revelou que ainda está indeciso quando à reeleição. Ele enfrenta problemas internos no MDB, dividido entre o apoio ao Democratas do governador Mauro Mendes, cuja relação azedou, e uma candidatura própria. Mas o principal fator de dúvida é a primeira-dama Márcia Pinheiro, que estaria cansada da vida pública. A decisão, promete o prefeito, só deve ser tomada pouco antes do pleito do ano que vem.

“Eu já falei pra vocês que é mais fácil eu não ser candidato do que ser. Isso eu quero decidir até março ou abril do ano que vem e quero anunciar, quero reunir o grupo, fechar os partidos, até porque muitos deixaram claro que ficam no projeto se eu for o candidato”, reforçou, evitando comentar sobre a intenção de se candidatar ao governo e enfrentar Mauro Mendes numa disputa direta.

Só Notícias/Marco Stamm, de Cuiabá (foto: assessoria)