Política

“Precisamos de profissionais para abrir novos leitos de UTIs em Mato Grosso”, diz secretário

Recuperado da Covid-19, o secretário Estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo reforçou, há pouco, em entrevista coletiva pela internet, que o governo do Estado já tem capacidade para instalar 200 novos leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) destinadas para tratamento do Coronavírus em Mato Grosso, mas para isso é necessário, profissionais para trabalharem no enfrentamento da doença.

“Não vai ser a chegada de uma estrutura física (monitores, respeitadores) que vai resolver o problema. Temos equipamento para abrir 200 leitos, mas faltam profissionais, que estão sendo afastados das suas áreas. Tem semanas que mais de 10 são afastadas por estarem infectados. Isso é difícil de repor. Não existe profissionais para repor. Infelizmente temos baixa de pessoal que estão trabalhando. Outro aspecto é o medicamento. Não se pode entubar um paciente sem sedativos. É por isso, que tem pacientes perdendo a vida. Não existe profissionais em abundância. Já pedimos até ajuda inclusive do ministério da Saúde para reforçar nosso time”, disse Gilberto.

Ontem, foram registradas mais 40 mortes por Covid em Mato Grosso. O total subiu para 961. Além disso, o número de pessoas internadas em UTI aumentou mais em relação a ontem e 98% dos leitos em hospitais públicos credenciados para tratar a doença estão ocupados.

Há apenas 4 leitos em Mato Grosso. Os hospitais públicos em Várzea Grande, Sinop, Rondonópolis, Cáceres, Barra do Garças e Sorriso estão lotados. Os únicos leitos que restam estão na capital e a tendência é a transferência de pessoas para outros Estados. Por conta disso, o lockdown em Cuiabá e Várzea Grande foi prorrogado, ontem, por mais 7 dias com apenas 52 segmentos de empresas com atividades essenciais funcionando.

Hoje, o governo estadual  fará a abertura das 20 novas Unidades de Terapias Intensivas para casos da doença, no Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá, conforme prazo manifestado em  planejamento de abertura de leitos entregue para a Justiça Estadual. As UTIs começam a receber pacientes e os profissionais de Saúde já estarão aptos a gerenciar os leitos.

Conforme Só Notícias já infirmou, ontem, o governo de Mato Grosso encaminhou um projeto para ser votados pelos deputados estaduais, na Assembleia Legislativa, que visa conceder um adicional aos servidores da Saúde que atuam na linha de frente das unidades hospitalares que atendem casos de Coronavírus. Para citar um exemplo, hoje a remuneração de um superintendente de Enfermagem -que coordena toda a equipe de enfermeiros que atendem casos de covid-19 em um hospital estadual – é de R$ 5 mil. O valor é inferior ao salário dos próprios enfermeiros que ele coordena. Com a proposta, esse profissional receberia R$ 6,7 mil.

A compensação, assim que aprovada, só terá validade enquanto durar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia. “Lamentavelmente, temos um grande problema no sistema de saúde, que é a falta de profissionais no mercado. Está faltando no Governo, nos hospitais privados, e estamos registrando uma perda de profissionais inclusive pela grande demanda e competição para contratação”, explicou o governador Mauro Mendes.

No momento, há um edital aberto para a contratação de médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, técnicos de laboratório e maqueiros, para atender a demanda nos Hospitais Regionais de Alta Floresta, Cáceres, Colíder, Rondonópolis, Hospital Metropolitano e Hospital Estadual Santa Casa.

Além disso, outro edital foi aberto nesta semana visando a contratação de 24 médicos para atuar no Centro de Triagem e Diagnóstico da Covid-19, em Cuiabá, que começará a atender nos próximos dias. As inscrições podem ser feitas no site do governo de Estado.

Só Notícias/Cleber Romero (foto:reprodução)