sexta-feira, 19/abril/2024
PUBLICIDADE

PR quer manter 5 secretarias no novo secretariado de Silval

PUBLICIDADE

Parlamentares do PR reúnem-se na manhã de hoje (11) para discutir a posição da sigla no governo do Estado. O partido luta para manter seu espaço e ainda ampliar sua cota no staff do governador Silval Barbosa (PMDB). Atualmente, os republicanos detêm o comando das secretarias de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), com Pedro Nadaf; de Administração (SAD), sob César Zílio; de Meio Ambiente (Sema), Vicente Falcão, Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu), Arnaldo Alves; Extraordinária de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit), Edmilson Santos e Cultura (SEC), com Vanessa Jacarandá.

Segundo o presidente do diretório estadual do PR, deputado federal Wellington Fagundes, conversas iniciais com o governador apontaram pela manutenção de pelo menos 5 pastas sob o comando do partido. “Mas só teremos garantia do tamanho da participação após as nomeações”, ponderou.

Mesmo diante da dúvida, lideranças do partido iniciam, na reunião de hoje, o debate acerca dos nomes que serão indicados pela sigla. Fagundes ressalta que o partido está aberto ao diálogo pois seu objetivo maior é garantir a governabilidade e, inclusive, está abrindo mão de espaço no governo para que Silval possa alojar o PSD, que no início do ano deixou os cargos que ocupava no Estado. Em seu retorno, os sociais democratas devem levar, da cota do PR, a pasta de Cultura. Também deve sair do comando do partido a Selit, que pode voltar às mãos do ex-republicano Francisco Vuolo. As especulações dão conta de que o PR também perderia o comando da Sema, mas em troca, ficaria com a Casa Civil, comandada por José Lacerda (PMDB).

No encontro, o PR também colocará em pauta a discussão sobre a possível participação do partido no movimento Mato Grosso Muito Mais. Na última sexta-feira (7) representantes dos partidos que compõem o grupo, PPS, PSB, PDT e PV, resolveram incluir o PR no movimento. Contudo, nenhum representante republicano participou do encontro. Apesar do MT Muito Mais ter nascido como um grupo de oposição ao governo Silval, o deputado não descartou a hipótese de conversar com representantes do movimento, mas pondera que até agora sequer foi convidado oficialmente. “O PR não é um partido sectarista e estamos abertos para conversar com qualquer um”, disse.

Ele não teme que a aproximação com o grupo possa dificultar as negociações junto ao Estado. A participação do PR no MT Muito Mais teria como foco específico a disputa pela presidência da Associação Mato-Grossense de Municípios (AMM).
O grupo lançou como candidato o prefeito eleito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), que disputará contra o prefeito eleito de Juscimeira, Valdecir Luiz Cole, o Chiquinho do Posto (PSD).

Chiquinho contará com a marca municipalista do secretário-geral do PSD, o presidente da Assembleia, José Geraldo Riva (PSD), além do apoio do atual presidente da AMM, o prefeito de Acorizal, Meraldo Figueiredo Sá (PSD).

O apoio dos republicanos na disputa é esperado para tentar equilibrar as forças, mas como o processo eleitoral da AMM só tem início em janeiro, o PR deve evitar desgastes e aguardar a reforma do secretariado de Silval antes de declarar seu posicionamento.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Sinop vai aplicar mais de R$ 5 milhões em manutenção de áreas verdes

A prefeitura vai investir na aquisição de materiais para...

Lula homologa terra indígena com 32 mil hectares em Mato Grosso

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou da...

Senador de MT defende redução da maioridade penal após homicídios de motoristas de aplicativos

O senador Jayme Campos (União-MT) afirmou, em pronunciamento na...
PUBLICIDADE