Política

PF faz buscas também em Sinop e investiga Antonio Galvan; Sergio Reis e deputado são alvos

A Polícia Federal cumpre, neste momento mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, apurando o “eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos poderes”.

Uma fonte da PF, confirmou, ao Só Notícias, que o produtor rural em Sinop e presidente da Aprosoja Brasil, Antônio Galvan, é um dos alvos da operação tendo sido cumprida ordem de busca e apreensão.

Galvan afirmou que os agentes da PF foram extremamente gentis. “Nada encontraram em casa que justificasse a operação ordenada pelo ministro Alexandre de Moraes. Pra mim, é pura intimidação pelo falo de estarmos conclamando à população brasileira a se manifestar no dia 7 de setembro, contra os abusos que alguns ministro estão cometendo sobre pessoas de bem do nosso país. Mas isso nos dá, ainda mais força. Represento, juntamente com outros produtores rurais do Brasil, o movimento Brasil Verde Amarelo, já usado para fazer outros manifestos, como o do próprio Funrural. Alias criado por esse motivo. Julgamento dessa corte, aonde, reverteu depois de duas decisões favoráveis, que o produtor rural brasileiro é devedor do Funrural.

O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), aliado do presidente Bolsonaro, é outro investigado, de acordo com a Folha de São Paulo e buscas também estariam sendo feitas em endereços do cantor Sérgio Reis que, recentemente, fez discurso defendendo fechamento do STF e reforça a mobilização para os atos do dia 7 de setembro, em Brasília, e greve dos caminhoneiros.

Os mandados, solicitados pela Procuradoria Geral da República, foram expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes e além do mandado em Mato Grosso os demais estão sendo cumpridos em Santa Catarina (6 ordens), São Paulo (2), Rio de Janeiro (1),  Distrito Federal (1), Ceará (1) e Paraná (1).

Só Notícias (foto: arquivo/assessoria - atualizada às 10h38)