Política

OAB aciona Polícia Federal por vídeo que insinua intervenção em favor de prefeito de Cuiabá

A Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso apresentou, esta manhã, na Polícia Federal, em Cuiabá notícia-crime que requer abertura de inquérito para apuração e responsabilização dos criadores de vídeo falso por difamação. O vídeo, que circula em aplicativos de mensagens, sugere que a OAB esteja intervindo em favor do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que foi afastado do cargo, na última segunda-feira pela justiça durante a operação Capistrum, que foi feita pelo Ministério Público  também pela Polícia Civil, que investiga atos ilícitos na secretaria de Saúde de Cuiabá.

No vídeo, narrador imita a voz de Pinheiro e cita nominalmente o presidente da OAB Mato Grosso, Leonardo Campos, e a  vice-presidente, Gisela Cardoso, afirmando que estes estariam tomando providências quanto ao afastamento do gestor. Na notícia-crime, a entidade deixa claro que “trata-se de disseminação de notícia falsa, uma vez que a OAB-MT em nada interveio ou intervirá no deslinde dessa causa”.

O documento reforça que a operação não guarda nenhuma relação com a OAB  e seus representantes eleitos e que o vídeo representa “uma realidade inexistente com o escopo de influenciar a opinião da classe advocatícia , atrelando a OAB ao caso do afastamento do atual prefeito da capital e de sua eventual defesa da lide processual, o que é sabidamente inverídico”.

Por meio da notícia-crime, a OAB requer abertura de inquérito para apuração, identificação e indiciamento dos responsáveis pelo vídeo fake por crime de difamação, previsto no artigo 139 do Código Penal Brasileiro. Além disso, a entidade requer providências para impedir a propagação do vídeo.

Conforme Só Notícias já informou, um grupo de vereadores deve protocolar, ainda esta semana, um pedido para instalação de uma comissão processante que pode resultar na cassação do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Redação Só Notícias (foto: assessoria)