Política

Ministro vistoria área atingida por queimadas em Mato Grosso; Mauro agradece ajuda federal

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acompanhado do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes destacou, há pouco, após sobrevoar com helicóptero do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) as regiões atingidas por incêndios no Pantanal, a ajuda que aviação agrícola está prestando para acabar com os incêndios com utilização retardantes de chamas. O produto também está sendo aplicado pelas aeronaves dos governos do Estado e Federal.

“Muito bem-vindo o apoio da aviação agrícola de Mato Grosso. Os proprietários de aeronaves utilizadas pelo setor podem e devem colaborar nessa tarefa de combate às queimadas. Assim como a aviões agrícolas, as aeronaves federais e estaduais também nesse combate utilizado bloqueadores de fogo, os retardantes. Essa é uma discussão antiga se é conveniente ou não utilização desse produto e que tem muito mais eficácia no combate das queimadas do que a água pura. Ficou claro hoje na conversa com os pilotos”.

Salles também afirmou que fez o acompanhamento das aeronaves na ponta. “Hoje nós presenciamos operações de cinco air tractor (aviões agrícolas). Fomos até Poconé e ficou claro o desafiou que está em controlar as queimadas no Pantanal. Ambiente muito quente, seco, ventos fortíssimos e temperaturas altas. Encontramos vários pontos de queimadas, local onde os aviões e brigadistas têm dado combate direto ao fogo, mas mesmo assim vem causando danos a fauna e flora do Pantanal”.

O governador Mauro Mendes agradeceu o empenho do governo Federal em ajudar combater as queimadas no Pantanal mato-grossense. “Quero agradecer em seu nome ministro o presidente Jair Bolsonaro, que por mais uma vez de forma dirigente, rápida prestada através do aparato federal. Seja pelo Exército na Operação Verde Brasil comanda pelo vice-presidente. Com todas as ações que nós já estamos desde o mês de março trabalhado, planejamento para evitar as queimadas e também os desmatamentos em Mato Grosso.

O governador expôs ainda que área do Pantanal extremamente gigante e de difícil acesso. “Muitos perguntam como ocorrem as queimadas. Existem muitos motivos por processos que podem ocorrer até incidentes domésticos e também enfrentando a maior seca já sofrida no Pantanal. 5% da área do Pantanal já foi afetada. 73 dos pontos focais identificados por satélites foram contidos. Nós estamos tendo atenção especial com santuários ecológicos. Praticamente, 98% deles foram preservados. É um esforço gigantesco que nós estamos realizando. Muita gente empenhada para conter esses focos. Os trabalhos continuam e acredito que nos próximos dias vamos conter”.

Conforme Só Notícias já informou, a secretaria de Estado de Segurança Pública começou, ontem ,a operação Integrada Transpantaneira 1. O objetivo é apoiar o enfrentamento qualificado aos crimes ambientais, em especial, incêndios florestais e queimadas irregulares, que é feito pelas unidades que compõem o Comitê Temporário Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman), na Operação Pantanal 2.

A operação integrada é uma política pública do governo do Estado estabelecido no Plano de Ação para Combate ao Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais do Estado de Mato Grosso, e a existência de focos de incêndios ativo de grandes proporções na região do pantanal mato-grossense, que já atingiu três áreas de reservas indígenas, e queimou aproximadamente 185 mil hectares de área de vegetação.

Redação Só Notícias (fotos: Christiano Antonucci e assessoria)