Política

Mauro diz em Nova Mutum que ferrovia estadual também fortalecerá indústria e comércio; vídeo

O governador Mauro Mendes (DEM) formalizou, há pouco, no centro de eventos Casarin, acompanhado prefeito Leandro Felix (PSL) o ato para que a empresa RUMO inicie os procedimentos para construir a primeira ferrovia estadual. Em Nova Mutum, a empresa adquiriu 1,1 mil hectares para construir o terminal rodoferroviário. A área fica a cerca de 15 km de BR-163 e deve ser construído terminal de cargas e de pátio de manobra dos trens.

A RUMO prevê concluir as obras do terminal de cargas em Cuiabá em 2025, em Nova Mutum em 2027, e em Lucas do Rio Verde em 2028, com 730 quilômetros da ferrovia e cerca de 60 pontes. A previsão de investimento é superior a R$ 11,2 bilhões.

O governador Mauro Mendes ponderou que o momento é de alegria, o projeto é pioneiro no Brasil e trará muitos benefícios para o desenvolvimento de todo o Estado. “Não tenho dúvida que ganha Mato Grosso, o sistema de logística, os produtores e empreendedores. Milhares de empregos serão gerados na região, na obra, e na sequência teremos a ampliação de investimentos na indústria, bem como no comércio”.

Ainda emendou ressaltando que as exportações serão potencializadas, já que o modal ligará a produção até os portos de Santos, em São Paulo. “Temos certeza que a empresa vai cumprir com seu cronograma, em seis anos teremos a ferrovia chegando em Nova Mutum. Ao final dos sete anos, que é o final do contrato, chegará a Lucas do Rio Verde”.

Mauro lembrou que a construção da ferrovia dará mais competitividade, e a tendência é que, com isso, os preços baixem, movimentando toda a cadeia, até o consumidor final. Ainda disse que não beneficiará somente o agronegócio, mas também a indústria e outros pontos. “Esta ferrovia vai nos levar aos grandes centros consumidores do país”. “Nos liga a região Sudeste, trazer matéria prima das indústrias para cá por esse modal ficará mais barato”, reforçou.

O prefeito de Nova Mutum, Leandro Félix, destacou que hoje é um dia histórico, e lembrou, com tom de agradecimento, a todos os pioneiros que chegaram no município e contribuíram para o crescimento, e para que hoje exista a demanda de uma ferrovia. “Agradecer também ao governador Mauro Mendes por esse ato de coragem, de trazer e acelerar o desenvolvimento para o nosso Estado”, pontuou.

Emocionado, o vice-prefeito Alcindo Uggeri também lembrou, com saudosismo, os pioneiros. “Vocês não imaginam o que passa no coração de um homem que está aqui há 46 anos. Quando vejo esses eventos lembro muito daqueles que não conseguiram chegar aqui, que também fizeram história, numa época que você, para levar um doente, tinha que colocar em cima da carretinha de um trator, cobrir com uma lona e ir para Diamantino”, disse.

O presidente da RUMO, João Alberto Fernandez de Abreu, enfatizou que o projeto é fruto de um trabalho conjunto, entre a iniciativa privada e o governo do Estado, dizendo ainda que a gestão Mauro Mendes é exemplo para todo o país, com um trabalho ‘brilhante’. Ainda garantiu que a obra será executada conforme o cronograma. “A estrutura de capital da empresa está totalmente montada. O projeto de engenharia executivo finalizado, e terminando o projeto de licenciamento ambiental. Queremos fazer essas primeiras inaugurações aproximadamente em 2025, chegar em Nova Mutum em 2027, e concluir o projeto como um todo em 2028”, acrescentou.

O vice-governador Otaviano Pivetta, parlamentares, prefeitos de cidades da região Norte e Médio Norte, e presidentes de federações também prestigiam a solenidade.

Esta manhã, houve a primeira solenidade, em Cuiabá, onde Mauro assino contrato para a construção do trecho Rondonópolis-Cuiabá e apontou que o licenciamento ambiental deve ser concluído em seis meses. Em seguida, a empresa tem mais seis para iniciar as obras, com isso, a previsão é que inicie no segundo semestre de 2022.

Depois de Nova Mutum, Mauro foi a Lucas do Rio Verde onde também houve solenidade, com diversas lideranças políticas regionais e estaduais, no Parque de Exposições Roberto Munaretto.

A ferrovia foi ‘batizada’ como FATO – Ferrovia Autorizada Olacyr de Moraes, levando nome do produtor, industrial pioneiro na produção de soja em Mato Grosso e foi considerado o rei da soja. Ele faleceu em 2015.





 

Só Notícias/Luan Cordeiro (fotos: reprodução - atualizada 21:26h)