Economia Política

Mato Grosso participa de simpósio do BRICS na China para fomentar acordos comerciais

Mato Grosso foi o único estado do Brasil a participar do Simpósio Internacional para BRICS Think Tanks 2021, realizado em  Xiamen, província de Fujian, no leste chinês, na última quinta-feira.  O projeto de cooperação o estado e o país chinês vêm se fortalecendo ao longo deste ano. O encontro tratou sobre o “Trabalhando juntos para desenvolver o centro de inovação em um modelo de cooperação do BRICS”, atraiu mais de 200 especialistas, autoridades da indústria e do governo e representantes de organizações internacionais e associações empresariais O centro de inovação do BRICS tem como foco impulsionar o investimento e a facilitação do comércio. Bem como, o aprimoramento da inovação e cooperação financeiras.

Atualmente, os BRICS são detentores de mais de 21% do PIB mundial, formando o grupo de países que mais crescem no planeta. Além disso, representam 42% da população mundial, 45% da força de trabalho e o maior poder de consumo do mundo.

Ariana Guedes, que atua no país asiático intermediando a abertura de mercado para os produtos mato-grossenses, destacou que essa parceria entre os governos ocorreu porque províncias chinesas, com base econômica semelhantes do Estado, se interessaram na cooperação comercial e de investimentos em Mato Grosso. “Após essa ação piloto, os chineses já se colocaram à disposição para desenvolver outros cursos para Mato Grosso.  Nosso estado é um parceiro e a perspectiva é de que essa ligação nos renda muitos frutos. Existem muitas oportunidades na cidade de Xiamen e nas 33 províncias chinesas na área de trading e investimentos. E por parte do governo local há muito interesse em Mato Grosso”.

As negociações que visam fomentar acordos comerciais do Estado com a Ásia, em especial com a China, tiveram início do ano passado. A parceria internacional firmada entre Mato Grosso e a China será duradoura se depender da atual gestão, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda. “O interesse é mútuo e estamos buscando consolidar essas negociações e formalizar acordos a longo prazo que serão muitos bons para a inserção dos produtos do estado no mercado chinês”.

Para concretizar as atividades, o governo chinês criou um centro de inovação entre os países que compõem o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). A plataforma visa estimular as discussões e projetos entre os países integrantes.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)