Política

Mais de 160 mil eleitores de Cuiabá e Várzea Grande estão com títulos cancelados, diz TRE

Cuiabá e Várzea Grande que são os dois maiores colégios eleitorais de Mato Grosso apresentam um percentual acima de 30% de seu eleitorado com os títulos cancelados. Na capital, dos 345.391 eleitores, 110.880 estão irregulares com a Justiça Eleitoral. Já em Várzea Grande, essa situação atinge 49.311 eleitores, do total de 146.335. O percentual é considerado alto para a Justiça Eleitoral.

“Consideramos aceitável um percentual em torno dos 10%, mas em Cuiabá estamos com 32% e Várzea Grande chega a 33.69%. Em 2020 teremos a eleição municipal e o eleitor precisa participar ativamente da vida política do município no qual reside, pois será atingido diretamente pelas políticas públicas adotadas pelos eleitos”, ressaltou o presidente do TRE, desembargador Gilberto Giraldelli, através da assessoria.

Outro ponto que preocupa a Justiça Eleitoral é a possibilidade dos eleitores com os títulos cancelados buscarem a regularização somente no próximo ano. “Em ano de eleição o cadastro nacional de eleitores é fechado em maio e só reabre em novembro. Não teremos tempo hábil para atender toda a demanda em quatro meses. Por isso, pedimos ao eleitor com o título cancelado que regularize agora, o quanto antes. Estamos prontos para atender o cidadão com a devida brevidade e conforto. Não vamos ampliar nossa estrutura posteriormente”, frisou o diretor geral do TRE-MT, Mauro Sergio Diogo.

Ainda de acordo com a assessoria, o eleitor que está com o título cancelado deve procurar, com a maior brevidade possível, uma unidade de atendimento da Justiça Eleitoral, situada no município onde reside, para efetuar a regularização.  O título cancelado acarreta restrições no exercício de direito e pode até mesmo, ocasionar a suspensão do CPF.  Na dúvida, se está regular ou não, o cidadão pode consultar a situação no site da Tribunal Regional Eleitoral, nas abas “eleitor e eleições”, “situação eleitoral”.

Além de não poder votar, eleitor com o título cancelado fica impedido de obter a certidão de quitação eleitoral. Esse documento é utilizado para o exercício de diversos direitos civis, entre eles tirar ou renovar passaporte, tomar posse em cargo ou função pública, fazer ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e participar de licitações, bem como contratar com a administração pública.

Redação Só Notícias (foto: reprodução/arquivo)