Política

"Máfia do milho" será combatida em Mato Grosso

Uma megaoperação está sendo planejada para se combater com maior rigor três setores da economia mato-grossense, mas principalmente a simulação de vendas de grãos, principalmente o milho que teve um grande aumento na safra deste ano e se encontra correndo o risco de perda por falta de estocagem ou comercialização. A operação está sendo coordenada pela Delegacia de Polícia Fazendária (DPF) pelas polícias Federal, Judiciária Civil, Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e Secretaria de Fazenda (Sefaz).

Dentro da Sefaz a questão do milho já está sendo tratada como a "máfia do milho", tamanha a simulação de vendas do produto para exportação, mas que na verdade o produto nem deixa Mato Grosso ou o Brasil. Nesse tipo de operação, são emitidas guias de exportação que não gera incidência de ICMS, outros impostos e taxas e o produto acaba sendo comercializado no mercado interno em vantagem contra os que recolheram os impostos e taxas, valores embutidos no preço final.

O secretário de Fazenda, Eder Moraes, lembrou que sua determinação maior é pelo combate a sonegação e a evasão fiscal, apontando que o governo Blairo Maggi não concedeu nenhum reajuste nos impostos e pelo contrário derrubou alíquotas e reduziu a incidência dos mesmos. "Nos adequamos a realidade econômica do momento, agora não deixaremos de cobrar, fiscalizar e endurecer o jogo com quem sonega ou evade as receitas que são de Mato Grosso e que fomentam o desenvolvimento e as ações do Estado", disse ele sinalizando que independente de qualquer coisa a ordem do governador é para exigir o que é de propriedade do Estado.

O secretário de Fazenda confirmou a criação de uma nova Delegacia Fazendária exclusiva para as questões de grãos, combustíveis e frigoríficos, onde já se tem notado facilidades por parte de alguns empresários que promovem a desordem no setor, mas que serão duramente combatidos, pois não é admissível certos tipos de ações. "Estamos fechando o cerco, como todos os Estados brasileiros. Não vai haver mais espaço para os sonegadores e para aqueles que deixam de cumprir com suas obrigações e na verdade acabam prejudicando a sociedade, os municípios e os Estados", disse o secretário Eder Moraes.

As ações da Delegacia de Polícia Fazendária são responsáveis pelo desbaratamento de diversas quadrilhas de sonegadores em todo Mato Grosso. A unidade vem ampliando sua atuação.