Política

Jayme reafirma apoio para Pacheco presidir o Senado e contabiliza 54 votos

O senador Jayme Campos (DEM), que chegou ter seu nome cogitado para disputar a presidência do Senado na eleição prevista para a primeira semana de fevereiro, se disse lisonjeado pela lembrança, mas negou qualquer pretensão de ocupar o cargo. Ao Só Notícias, ele reafirmou o compromisso com o colega de partido Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que é líder da legenda na Casa e que conta com o apoio do atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Por enquanto, Pacheco é o único candidato a oficializar a candidatura. Mesmo com o apoio de Bolsonaro, que garantiu prestigiar o candidato de Alcolumbre, ontem o PT declarou apoio ao democrata, que também aglutina o Republicanos de Flávio Bolsonaro, PSD e PROS. Juntos os partidos somam 28 votos, mas Jayme se mostra mais otimista e confia na eleição do colega. “Está tudo muito bem arrumado para a eleição do Rodrigo Pacheco. Ontem falei com vários colegas e as composições, pelas falas deles, contabiliza-se 54 votos”, revelou ao Só Notícias.

Apesar da candidatura adiantada, Pacheco não deverá ser o único e o MDB, dono da maior bancada com 13 cadeiras no Senado, deve escolher um nome nesta quinta-feira (14). Entre os cotados estão o líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (TO), o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (PE), o líder do partido no Senado, Eduardo Braga (AM) e a presidente da Comissão de Constituição e Justiça na Casa, Simone Tebet (MS), com vantagem interna para os dois últimos

Só Notícias/Marco Stamm (foto: Só Notícias/arquivo)