Política

Governo diz que prefeito de Cuiabá é despreparado e politiza combate à covid 

O governo estadual emitiu uma nota lamentando “a forma como a prefeitura de Cuiabá politiza e trata a situação da covid-19”. A crítica leva em consideração o decreto assinado, hoje, pelo prefeito de Cuiabá, que estabelece medidas para conter o avanço da doença na capital, mais brandas que  as do decreto assinado, ontem, pelo governador Mauro Mendes. 

“Hoje, Mato Grosso tem 88% das vagas de UTIs no Estado ocupadas e alcançou a marca de 253.783 casos e 5.864 óbitos. Quando Cuiabá registrou o primeiro caso de coronavírus, há exato um ano, a decisão da prefeitura de Cuiabá foi de fechar tudo e instaurar um lockdown total no município. Agora, com um cenário crítico, a decisão foi flexibilizar”, afirmou a nota do governo estadual.  

Na nota, o governo do Estado acusou o prefeito da capital de cometer “erros”, além de mostrar “despreparo” e “irresponsabilidade”. A avaliação do governo é de que a forma como Emanuel tem conduzido a pandemia na capital “poderá provocar a morte de muitos cuiabanos”. “Caberá ao Ministério Público e ao Judiciário decidir o que deverá prevalecer na cidade de Cuiabá”.

Conforme Só Notícias já informou, foi estabelecido pelo governo do Estado que as empresas vão poder funcionar das 5h às 19h de segunda a sexta-feiras. A partir das 21h até às 5h, as pessoas não podem circular. As empresas aos sábados funcionarão das 5h às 12h, bem como aos domingos. As medidas são impositivas aos 141 municípios a partir desta quarta-feira e seguem pelos próximos 15 dias.

Algumas medidas do decreto

  • De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia e telefone.
  • Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.
  • Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite de 30% da capacidade do local, e número máximo de 50 pessoas.
  • Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 23h.
  • O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.
  • Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.
  • Projeto de lei que prevê multa a pessoas físicas e às empresas que descumprirem as normas, bem como notificação à Polícia Civil e Ministério Público.
  • Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto à jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

 

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: assessoria)