Política

Governo consertou o Estado em 1 ano e 9 meses, avalia Mauro Mendes

O governo de Mato Grosso conseguiu consertar o Estado, que agora possui as finanças equilibradas, pagamento dos servidores em dia e centenas de obras em andamento em todas as regiões num período de 1 ano e 9 meses. De acordo com a assessoria, em janeiro do ano passado, a gestão comandada pelo governador Mauro Mendes (DEM) encontrou o Estado quebrado com salários atrasados, viaturas sendo recolhidas por falta de pagamento de locação e combustível, UTIs sendo fechadas e centenas de obras paradas. Além de dívidas de restos a pagar na ordem de R$ 4 bilhões.

O governo fez a reforma administrativa, enxugando as secretarias de 25 para 16. Despesas foram cortadas, contratos e dívidas bancárias foram renegociados e mais de 4 mil cargos foram extintos. Com as medidas adotadas, hoje o governo já reduziu em mais de sete pontos percentuais o custeio das despesas de pessoal, saindo de 57,89%, em 2018, para 50,71%, considerando os 4 primeiros meses deste ano.

O salário dos servidores passou a ser pago rigorosamente em dia e os fornecedores passaram a receber os pagamentos de forma regular. “Somente em 2019, o Estado teve as despesas reduzidas em R$ 1,03 bilhão, conforme o relatório da Controladoria Geral. E pela primeira vez em quatro anos, as contas fecharam no azul, ou seja, o Governo do Estado gastou menos do que arrecadou”, relatou o governador

Mauro explicou ainda que, com as contas em ordem, foi possível enfrentar e realizar muitas ações para reduzir o impacto da pandemia do Coronavírus na vida dos mato-grossenses, como a prorrogação do IPVA para toda a população e do ICMS aos pequenos empreendedores. “Também foi concedida isenção de ICMS na energia elétrica para quem se enquadrava na baixa renda e distribuídas cerca de 330 mil cestas básicas e milhares de cobertores às famílias com maior vulnerabilidade social, por meio do programa Vem Ser Mais Solidário, encabeçado voluntariamente pela primeira-dama Virginia Mendes”, pontuou.

Para enfrentar a Covid-19, o governo também ampliou o Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, em menos de 45 dias, um tempo recorde para o Brasil. Foram construídos 210 novos leitos definitivos, que custaram muito menos que um hospital de campanha.

Foram abertas 163 novas UTIs nas unidades hospitalares do Estado, além de outras 137 em parceria com os municípios, custeando as diárias e também comprando equipamentos, como respiradores. Abrimos o Centro de Triagem Covid-19 na Arena Pantanal, que oferece testagem, consulta, medicamentos e até tomografia, se necessário. Distribuímos 300 mil testes rápidos aos municípios e investimos R$ 8 milhões no tratamento precoce”, elencou o governador, ressaltando que os testes foram adquiridos por um preço até 11 vezes menor do que a média de aquisição dos outros estados.

A meta de fazer a Saúde funcionar também avançou nesse período. O governador registrou que há obras em andamento para ampliar e modernizar os Hospitais Regionais de Sorriso, Sinop e Rondonópolis.  “Reabrimos a Santa Casa, que agora é o Hospital Estadual Santa Casa, uma estrutura moderna e que tem atendido com excelência a alta complexidade. Recentemente também ampliamos o Hospital Regional de Cáceres, com 30 novos leitos que ficarão de forma definitiva atendendo toda a região oeste e implantamos 10 leitos de UTIs em Alta Floresta”, acrescentou.

Conforme Mauro Mendes, na Infraestrutura há centenas de obras em andamento que contemplam todas as regiões de Mato Grosso. Muitas delas eram aguardadas há décadas pela população local, como a ZPE de Cáceres e o encabeçamento das pontes da Estrada do Matão, em Pontes e Lacerda.

O governador ainda fez questão de lembrar o início e a conclusão de obras importantes para o Estado como a recuperação de 16km do anel viário em Rondonópolis, a finalização da obra de asfaltamento entre Guiratinga a Tesouro, o Coxipó do Ouro, a MT-010, a recuperação da rodovia que liga Jangada a Barra do Bugres, entre tantas outras obras no Estado.

As obras também contemplam as áreas da Educação, com R$ 150 milhões investidos em reformas, ampliações e construções de novas escolas. Outros R$ 54 milhões estão sendo aplicados para estruturar a Segurança Pública. Inclusive, o atual governo retomou e finalizou a obra da maior penitenciária de Mato Grosso, a Penitenciária de Várzea Grande, que foi iniciada em 2008.

Esse canteiro de obras promovido pelo Governo do Estado já gerou mais de 5 mil empregos diretos e outros milhares de indiretos, contribuindo para que Mato Grosso figure em 1º lugar como o estado com maior saldo positivo de geração de empregos no primeiro semestre de 2020. “Com trabalho e seriedade, consertamos nosso Estado. E os resultados já estão aparecendo. Queremos mais e Mato Grosso pode mais. De agora em diante, tem muito mais para acontecer”, concluiu o governador.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)