Política

Ex-assessor emprestou conta para Zé Domingos receber R$ 100 mil do sócio de empresa alvo da Operação Bereré

O nome do deputado José Domingos Fraga (PSD) aparece em um dos depoimentos prestados à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual (MP) na investigação que apura o suposto desvio de recursos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Ouvido por um delegado e um promotor do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), um ex-assessor do político admitiu que emprestou a conta para que o parlamentar recebesse R$ 100 mil do sócio de uma empresa alvo da Operação Bereré.

O homem que trabalhou na Assembleia Legislativa até março de 2016, foi identificado com a quebra de sigilo bancário dos investigados no esquema que consistia no pagamento de propina para a manutenção de um contrato de concessão firmado pelo Detran com a FDL Serviços. Conforme o documento, ele depositou em sua conta um cheque de R$ 50 mil, emitido por Claudemir Pereira dos Santos, à época sócio da Santos Treinamento, suposta empresa de fachada usada para distribuir a propina. Além disso, Claudemir teria transferido outros R$ 50 mil para a conta do ex-assessor.

Questionado sobre o assunto, ele confirmou as operações e disse ter recebido o cheque das mãos de José Domingos. O valor, segundo o ex-servidor, foi usado no pagamento de contas pessoais do político. Já com relação a transferência, o ex-assessor contou que recebeu um telefonema do parlamentar, pedindo a ele que passasse seus dados bancários para a realização da transferência.

O ex-assessor que hoje vive como agricultor, explicou que o deputado nunca contou a ele a origem dos recursos depositados em sua conta e negou que tenha sacado qualquer valor e entregue dinheiro em espécie para o político, destacando que todo o montante, ou seja, R$ 100 mil, foi usado no pagamento de contas. As duas operações identificadas ocorreram nos dias 3 e 6 de fevereiro de 2014. Já Claudemir figurou como sócio da empresa entre junho de 2006 e março de 2015.