Política

Efeito mensalão: secretário pede afastamento de suas funções no PT

O secretário-geral do PT, Silvio Pereira, pediu hoje o afastamento da Executiva Nacional do partido. Pereira foi acusado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) de intermediar a negociação de cargos no governo para aliados.

Pereira entregou sua carta de afastamento hoje ao presidente do partido, José Genoino. Na carta, ele pede para ficar afastado de suas funções até o término das investigações da CPI dos Correios.

Silvio Pereira, que pediu afastamento do cargo
Em nota divulgada pelo Diretório Nacional, o secretário-geral afirma que pede o licenciamento de todas as suas “atribuições partidárias até que o processo de CPI seja concluído”.

A assessoria de imprensa do PT divulgou uma segunda nota, encaminhada ao presidente do PT, José Genoino, e ao secretário nacional de organização, Gleber Naime. Na carta, Pereira solicita que seja aberto um processo na comissão de ética para apuração de todas as denúncias envolvendo seu nome.

O PT informou que a carta deve ser analisada na reunião da Executiva Nacional do Partido, marcada para acontecer amanhã em São Paulo.

Substituto

O substituto de Pereira deve ser escolhido por meio de votação do Diretório Nacional do PT. O diretório é formado por 81 membros de diversas correntes políticas.

O deputado Ivan Valente (PT-SP) disse que o Diretório do PT deve se reunir até o final da semana para escolher um novo secretário-geral para o partido.

Perfil

Homem da máquina do PT, foi acusado por Jefferson negociar nomeações de cargos em estatais em uma sala da Casa Civil. Homem de confiança do deputado José Dirceu (PT-SP), Pereira integrou a coordenação das últimas campanhas presidenciais do partido e participou da elaboração do estatuto do PT.

Sociólogo, Pereira é casado e tem uma filha. Ele está no partido desde a fundação, foi duas vezes secretário de organização antes de assumir a secretaria-geral.