Política

Cúpula do Partido Liberal de Sinop vai renunciar hoje

A cúpula do Partido Liberal de Sinop deve renunciar hoje. O presidente Claudio Alves Pereira, o vice-presidente, secretário e tesoureiro, dentre outros integrantes, vão se reunir para oficialmente entregarem seus cargos. “Estamos muito decepcionados com o comando nacional do nosso partido devido aos sucessivos escândalos que o PL envolveu-se com PT”, explicou ao Só Notícias, o presidente do diretório. “Não há mais clima para continuar. Vamos nos reunir com os companheiros e é certa a minha saída e de outros que discordam de tudo o que vem ocorrendo”, acrescentou Claudio Alves.

O PL está atolado até o pescoço no escândalo do mensalão. Tanto que o presidente nacional do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, foi o primeiro a renunciar o mandato de deputado federal, depois dos sucessivos bombardeios que foi alvo, feitos pelo deputado Roberto jefferson (PTB), que recebia dinheiro de Marcos Valério, além de outros deputados do partido, para dar apoio ao governo. Há poucos dias, em entrevista à Revista Época, o presidente nacional do PL disse que recebeu “R$ 6,5 milhões do caixa dois da campanha de Lula”, para seu partido apoiar o PT nas eleições de 2002. “A história do PL é ruim, mas é a menos pior”, acrescentou Valdemar.

A decisão de renúncia coletiva do comando do partido em Sinop começou a ganhar força, semana passada, após as últimas informações do forte envolvimento do partido com irregularidades e casos de corrupção. O PL tem mais de 13 anos em Sinop. Um dos fundadores foi o deputado federal Ricarte de Freitas Junior (que hoje é presidente regional dpo PTB) e já teve dois prefeitos em seus quadros: Adenir Barbosa (que hoje está no PMDB) e Antonio Contini ( atualmente no PFL). O partido também teve diversos vereadores em legislaturas anteriores. Nas últimas eleições apoiou a reeleição do prefeito Nilson Leitão (PSDB) e, na chapa proporcional, esteve na frentinha, não conseguindo eleger representantes.