Política

Colíder: prefeitura elabora programa com incentivos para atrair mais empresas

O Programa de Desenvolvimento de Colíder que a prefeitura está concluindo terá incentivos fiscais para indústrias e empresas que se instalarem no distrito industrial, próximo ao aeroporto. A primeira etapa tem 15 terrenos de mil metros quadrados, cada, além de outros imóveis com áreas menores.

“Através desse projeto, a prefeitura de Colíder oferece incentivos fiscais aos empresários que se instalarem no setor industrial. Ao mesmo tempo, estaremos regularizando as empresas que já estão instaladas e que enfrentam problemas jurídicos para regularização fundiária”, explicou o secretário municipal de Administração, Planejamento e Gestão, Vanderlei Borges.

O projeto está sendo debatido com vereadores e entidades ligadas ao comércio e indústria. Há poucos dias houve audiência pública e o próximo passo será a câmara votá-lo. O secretário apontou que, após os debates com empresários e vereadores, podem ser feitos ajustes. “Algumas propostas são interessantes e, eventualmente, poderão ser incluídas no projeto de lei, que, depois de aprovada na Câmara, será sancionado pelo prefeito Noboru Tomyioshi. E todo esse processo de discussão é fundamental para aprimorar a nossa proposta”. “Esperamos que seja aprovado para que, em breve, nós possamos contribuir para que as empresas possam se desenvolver e gerar empregos”, declarou, através da assessoria.

Vanderlei disse ainda que o novo projeto resolve impasses e traz segurança jurídica aos empreendedores considerando que algumas empresas que se instalaram, em anos anteriores, no distrito ao receberem doações de terrenos. O Ministério Público recomendou na gestão do ex-prefeito Nilson Santos que as doações fossem revogadas e o assunto está sendo analisado.

A agropecuária é um dos principais pilares da economia de Colíder com rebanho bovino de aproximadamente 400 mil cabeças, tem dois laticínios com capacidade de industrializar 150 mil litros/dia, dois frigoríficos com capacidade instalada de abate de aproximadamente 1.800 cabeças/dia e um curtume com capacidade de processamento de 4 mil peles bovinas/dia. No comércio são mais de 1.350 empresas em atividade em diversos segmentos.

Só Notícias (foto: assessoria - atualizada 09:58h)