Política

Bolsonaro confirma em reunião com senador de MT que Brasil produzirá vacina contra Covid

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, hoje, em audiência, o senador mato-grossense Wellington Fagundes, e confirmou que o governo federal colocará em prática a lei, de autoria de Wellingtom, para iniciar a produção de vacinas 100% brasileiras contra a Covid-19, por indústrias que produzem imunizantes para uso veterinário. Fábricas que já produzem vacina de uso veterinário podem ser autorizadas a elaborar imunizantes ou insumos farmacêuticos ativos (IFA) contra a Covid e devem cumprir todas as normas sanitárias e as exigências de biossegurança próprias dos estabelecimentos destinados à produção de vacinas para uso humano.

“Agora, a gente pode ter certeza que vamos ter vacinas para todos os brasileiros?”pediu Wellington, em vídeo com o presidente. “E também para a América do Sul e exportar para outros países, com toda a certeza”, respondeu Bolsonaro.

Não foi mencionado em quanto tempo a produção deve iniciar e demais procedimentos. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou que “a produção deve começar após autorização das autoridades sanitárias e do acesso à tecnologia dos imunizantes”.  Para ele, o Brasil está prestes a se tornar um dos maiores produtores de vacinas do mundo.

Entre os dispositivos aprovados está a determinação de prioridade pela autoridade sanitária para os pedidos de autorização para fabricação do IFA contra a Covid-19. Em seguida, para formulação, produção, envase, embalagem e armazenamento das vacinas propriamente ditas.

A  proposta prevê produção de até 400 milhões de doses de imunizantes. “A vacinação em massa de nossa população mostra-se como a medida mais premente e efetiva, uma vez que não existe ainda medicamento com eficácia comprovada contra o vírus. Para isso, precisamos produzir vacinas 100% nacional, estimulando também as pesquisas”, disse o senador.

Segundo o texto, a produção, o envasamento, a etiquetagem, a embalagem e o armazenamento de vacinas contra Covid-19 devem ocorrer em dependências separadas das unidades usadas para a fabricação dos produtos para uso veterinário. Se não houver um ambiente separado, as vacinas contra a covid-19 só podem ser armazenadas na mesma área com o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Só Notícias (foto: reprodução - atualizada 21:57h)