Política

Após apagão na UFMT, deputado pede auditoria e afastamento de reitora

O deputado José Medeiros (Podemos) pediu que o Ministério da Educação (MEC) afaste a reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Myriam Serra. A reivindicação foi por meio de ofício enviado ao ministro Abraham Weintraub com objetivo principal de sugerir a realização de uma auditoria para apurar o que o parlamentar chama de “problema” na “gestão” da universidade depois que os campi de Mato Grosso tiveram a energia elétrica cortada por falta de pagamento, na última terça-feira, no final da manhã, sendo restabelecida no início da noite.

Ontem a reitora disse, em entrevista coletiva, que o ministério sabia da situação, que só liberou os recursos após o corte de energia e que a dívida com a concessionária de energia não tinha sido quitada por causa de burocracias com o banco, que impedem transações acima de R$ 1 milhão por dia.

“Tínhamos uma reunião agendada com a Energisa e recebemos a promessa que até lá não haveria corte de energia. Foi uma ação na qual em uma hora a energia da instituição foi cortada em todos os câmpus do Estado. Mostramos a situação para o MEC, que somente aí fez a liberação do financeiro, no total da fatura, R$ 1,8 milhão”, explicou Myriam.

O MEC já se adiantou e, em nota, afirmou que tomará medidas administrativas e judiciais para apurar a situação administrativa da UFMT. Mais do que isso, Weintraub gravou vídeo ao lado de Medeiros, de quem se mostrou íntimo, para “restabelecer a verdade” e justificar o corte de energia. Ele declarou que na sexta-feira passada havia sido liberada verba para quitar as faturas de energia.

Só Notícias/Marco Stamm, de Cuiabá (foto: Só Notícias/arquivo - atualizada 09:41h)