Política

Advogados pedem em Mato Grosso criação de CPI para investigar o “mensalão”

Os advogados de Mato Grosso, participantes da Conferência Estadual dos Advogados, promovida pela OAB, vão realizar nesta sexta-feira, pela manhã, à partir das 8h30, um ato em favor da criação das Comissões Parlamentar de Inquérito para investigar possíveis crimes de corrupção. Uma delas diz respeito ao “Mensalão”, que consiste numa espécie de mesada para deputados federais e senadores se manterem fiel no apoio ao Governo. Segundo o presidente da OAB de Mato Grosso, Francisco Faiad, as explicações do acusado de gerenciar o sistema Delúbio Soares, que negou a prática, não convenceram a opinião pública.

O ato público deverá proceder a palestra do procurador da República, José Pedro Taques, que vai falar aos participantes da Conferência Estadual dos Advogados sobre “Os Efeitos da Corrupção no Brasil”. Taques é considerado um dos mais proeminentes procuradores da República. Ele á apontado como um dos responsáveis diretos pela ação que desmantelou o crime organizado no Estado, bancado pelo bicheiro João Arcanjo Ribeiro, que se encontra preso no Uruguai aguardando conclusão do processo de extradição.

Na abertura da Conferência Estadual, na quarta-feira à noite, na presença de quase 2 mil participantes, o presidente da OAB foi taxativo ao esclarecer que a entidade, em toda sua história, jamais compactuou com a corrupção, mas esclareceu que as denúncias devem ser investigadas e os culpados punidos adequadamente dentro dos mais elementares requesitos legais. “Somos defensores intransigente do Estado Democrático de Direito” – frisou.

“Nós ainda cremos nas instituições porque lutamos pelo seu fortalecimento” – frisou o presidente da OAB. “O Brasil está triste, vivendo de novo uma profunda crise política que já começa a corroer as estruturas das instituições”. Para Francisco Faiad, a carne terá que ser cortada “não só lá em cima, mas aqui embaixo também”.

Além do ato e da palestra do procurador da República, a Conferência dos Advogados vai tratar também da “Sumula 691 do STF e o Amesquinhamento do Habeas-Corpus”, com o conselheiro federal Alberto Zacarias Toron, doutor em Direito Penal pela Universidade de São Paulo (USP), ex-presidente do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. Outra palestra prevista para a manhã desta sexta-feira diz respeito aos “Novos Paradigmas da Advocacia Pública”, com o presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos, Roberto G! onçalves de Freitas.