Polícia

Quadrilhas especializadas em “importados” voltam a agir em seqüestros relâmpagos

A Polícia de Mato Grosso está, outra vez, diante de uma quadrilha especialista em roubos de carros importados em seqüestros relâmpagos. Mais de 300 camionetas Toyota Hilux foram roubadas entre os anos de 1996 e 2000, quando dezenas de assaltantes que integravam, pelo menos duas quadrilhas foram presos. Nos últimos cinco anos, pelo menos outras 100 já foram roubadas. Na maioria das vezes os bandidos agem “educadamente”

Os bandidos, sempre em dois ou três, preferem os carros de luxo e só agem sob “encomenda”. Muitas vezes os veículos ficam escondidos até a Polícia esfriar as buscas, ou são levados diretamente para a Bolívia.

O bando costuma atacar pessoas de classe média alta em bairros nobres da Capital, mas o caminho de volta é sempre o mesmo: Várzea Grande, ironicamente pela Rodovia Mário Andreazza, antigo reduto criminal de outras quadrilhas desarticuladas anos atrás. Ontem, três ladrões armados levaram duas senhoras como reféns para roubar mais uma camioneta.

Mãe, de 68 anos e a filha de 42, estavam saindo de uma clínica vascular no trevo de acesso ao bairro Santa Rosa, esquina com a Avenida Miguel Sutil por volta das 19 horas de ontem, quando três homens, dois deles armados, anunciaram o assalto. “Eles não foram muito violentos. Apenas nos empurraram para dentro do carro”, disse uma das vítimas.

Ela conta que os bandidos seguiram pela Avenida Miguel Sutil e entraram pela Rodovia Mário Andreazza. As duas vítimas foram abandonadas passando a fábrica de refrigerante Coca-cola. Os bandidos desapareceram com o veículo, a Hilux prata, placa JZW, final 06 em poucos minutos.

“Fiquem calmas, nós só queremos o carro. Mesmo assim um deles perguntou se eu tinha dinheiro na bolsa e eu disse que só tinha vinte e três reais. Ele pegou o dinheiro e um celular, mas quando eu aleguei que não tinha dinheiro para pegar um táxi ele me devolveu dez reais. Eu também aleguei que não tinha como chamar o táxi e ele também me devolveu o celular. O outro rapaz tentou pegar na bolsa de minha mãe, mas os outros não deixaram”, disse a vítima, que é esposa de um médico em Cuiabá.

Somente nesta semana quatro camionetas importadas – três delas Hilux -, foram tomadas de assalto em Cuiabá. Em todos os casos, os bandidos fugiram em direção a Várzea Grande.
A Polícia não descarta que a quadrilha que está roubando camionetas Hilux hoje, seja a mesma, inclusive a também os mesmos líderes, que atuavam na década de 90. “Não temos dúvidas que a quadrilha, ou as quadrilhas e os bandidos são os mesmos que atuavam antes da virada do milênio”, disse um investigador da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DRRVA).