Polícia

Prisões feitas pela Polícia Civil aumentaram 10% em Mato Grosso

O desempenho das atividadesdas das 12 delegacias regionais de Polícia Civil foi apresentado no encontro de delegados regionais da Polícia Judiciária Civil, em Nova Xavantina. O levantamento da Gerência de Estatísticas e Informações aponta que, se comparado com semestre de 2008, este ano as delegacias apresentaram acréscimo de 9,88% nos inquéritos instaurados e 15,82% nos concluídos. De todas as regionais analisadas, incluído a capital e Várzea Grande, 10 regionais apresentaram acréscimos e 4 tiveram uma retração nos procedimentos. “A novidade deste levantamento é o percentual comparativo”, disse a delegada Thaís Camarinho. A assessoria não informou as regionais que tiveram queda de produção.

As prisões oriundas de flagrantes e mandados de prisão tiveram aumento de 10,57%, em relação a semestre anterior. No Estado foram 9.631 presos. Das doze regionais oito apresentaram crescimento nas prisões, entre elas Rondonópolis, que recebeu 1.526 presos, sendo 137 em cumprimento a mandados de prisão. As prisões, em sua maioria, são flagrantes realizados pelas Polícia Militar e Civil e também resultados de operações, a exemplo da operação “Limpa bairros”, que tirou de circulação 35 pessoas que praticavam crimes na cidade.

De todas as regionais analisadas, somente Várzea Grande, que pertence a Diretoria Metropolitana, Água Boa e Tangará da Serra, apresentaram crescimento para todos os procedimentos realizados em relação ao mesmo período do ano anterior. O delegado regional de Tangará, Aldo Silva da Costa, informou que na regional, responsável por nove delegacias, os crimes de roubos, furtos e homicídios estavam ligados diretamente ao aumento do tráfico de drogas. Diante da constatação foi desenvolvidas 12 operações, todas contra o tráfico, que culminaram 31 prisões. “Tiramos de circulação traficantes fortes da cidade, envolvidos em homicídios”, afirmou.

Cada delegado regional apresentou o trabalho e dificuldades enfrentadas em suas regiões para desenvolver a tarefa policial. Os pontos levantados pelos regionais serviram de base para a elaboração da segunda carta-aberta direcionada ao diretor geral da Instituição.

Durante o encontro, o diretor do interior da Polícia Judiciária Civil, delegado Jales Batista da Silva, apresentou aos regionais o projeto “Degraus”, inspirado em três óticas: política, religião e institucional. O projeto busca minimizar problemas das delegacias com a demanda de inquéritos inconclusos, parados nas prateleiras dos cartórios. A base do projeto está na história bíblica de Jacó, que teve que subir 33 degraus para alcançar a vitória. Assim o projeto “Degraus”, será desenvolvido a longo prazo. Dois degraus serão percorridos a cada ano, ou seja, de mutirões serão realizados, a cada seis meses, em todas as delegacias para finalizar investigações policiais, com a conclusão de inquéritos policiais e termos circunstanciados de ocorrências.

“O mutirão é o exemplo mais visível de que a soma de esforços visando objetivo comum, além de conferir visibilidade aos projetos, repercute de forma positiva interna e externamente”, explicou Jales Batista.