Polícia

Motorista acusado de atropelar criança que morreu em Sinop não tem habilitação e trocou lanterna do carro

O delegado da Polícia Civil, Bruno Abreu, informou, esta manhã que o homem, de 34 anos, acusado de de atropelar uma criança, de 4 anos, que acabou morrendo, no sábado à noite, na rua Rio Preto, no bairro Maria Vindilina, não possui carteira de habilitação e já tinha sido flagrado dirigindo embriagado anteriormente. Ele confessou o atropelamento e foi autuado por homicídio culposo e fraude procedimental.

“Ele confessou, alegou que saiu da cena do crime porque as pessoas começaram a gritar pega, pega, mas isso será averiguado, porque eu não acredito que isso tenha ocorrido. A confissão dele se deu pelo fato de que o carro foi encontrado com ele, e tentou realizar digamos, uma fraude procedimental em relação ao pisca alerta do veículo, que ele já havia trocado. Ele achou que a gente não ia descobrir, quando a gente informou esse fato a ele, levamos ele até o carro e ele resolveu confessar”.

Ainda segundo delegado, a suspeita é que no momento do atropelamento o homem estaria dirigindo sob efeito de álcool. “Acreditamos que na data do crime ele estava embriagado. Porque se ele fica no lugar do acidente, e presta socorro, ele fica impedido de ser preso em flagrante. Ele iria responder em liberdade. Então acreditamos que ele estaria embriagado no momento da ocorrência”

Devido as circunstâncias, não foi arbitrada fiança e o homem será encaminhado hoje para audiência de custódia.

Conforme Só Notícias já informou, após ser atingido pelo VW Gol preto, o menino chegou a ser socorrido e encaminhado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) não resistiu e foi sepultado neste domingo em Sinop.

Testemunhas informaram à Polícia Militar que, após o acidente, o condutor do veículo fugiu do local sem prestar socorro. Os policiais realizaram buscas nos bairros próximos, mas não conseguiram localizá-lo.

Redação Só Notícias (colaborou: José Carlos Araújo - foto: divulgação)