Polícia

Integração das forças de Segurança Pública em Mato Grosso está consolidada

A integração entre as instituições de segurança pública do Estado – polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal, Ministério Público, entre outras entidades, ganhou um reforço de peso.

Reunidos de seis a 13 de junho, na Escola Superior de Segurança Pública, 52 pessoas entre policiais (civis, militares, federais, rodoviários federais, bombeiros), servidores da Superintendência de Perícias e Identificações, sistema prisional, delegados, agentes, do interior e da capital, promotores de Justiça, participaram do curso de Capacitação de Negociadores em Gerenciamento de Crises.

O curso, que teve duração de 80 horas, foi coordenado pelo delegado Marcos Aurélio Veloso e gerenciado pelo Gabinete de Gestão Integrada – GGI, com o apoio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), e teve como principal instrutor o coronel aposentado da PM do Paraná, Valter Wiltemburg Pontes, um dos mais reconhecidos especialistas em gerenciamento de crises do país.

No encerrado, realizado na manhã desta segunda-feira, a avaliação dos participantes é a de que o principal mérito do curso foi o de promover a real integração das forças de segurança que atuam em Mato Grosso.

“Temos que fazer da segurança pública uma construção coletiva. Estamos buscando isso a cada dia. Esse espaço (curso), que juntou do soldado ao comandante, do delegado ao agente, mostra a multiplicidade das instituições que passam, de fato, a trabalhar integradas. Penso que esta seja a única proposta capaz de oportunizar a nós a perspectiva de um melhor e mais eficiente combate à criminalidade”, afirmou o comandante geral da PM, coronel Leovaldo Salles.

Opinião também comungada pelo promotor de Justiça, Flávio Fachone. “Temos a necessidade da união de forças. As crises acontecem a cada momento, todos os dias, Na divisão da atuação na crise temos que ter um resultado final que só será alcançada com o trabalho coletivo das forças de segurança”, destacou o representante do Ministério Público Estadual.

Durante toda a semana, os participantes tiveram aulas teóricas e, no final de semana participaram de um evento simulado. A idéia era colocar em prática o que foi aprendido durante o curso. Todos trabalham 36 horas de forma ininterrupta, participando de uma simulação de uma tentativa frustrada de assalto a banco, com reféns. Os alunos do curso foram divididos em nove grupos e tiveram que dar solução ao caso, através da negociação via telefone com hipotéticos bandidos.

“Todos nós saímos deste curso mais bem preparados. Esta é uma atividade especial, que requer muita preparação. Foi um trabalho extremamente positivo e proveitoso”, destaca o tenente coronel Sampaio, um dos instrutores do curso.

Os negociadores irão compor o Comitê de Gerenciamento de Crises do Estado de Mato Grosso, órgão vinculado a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que tem como finalidade gerenciar e buscar soluções legais que façam frente às crises que possam ocorrer no sistema de segurança pública no estado.

A intenção do Governo é possibilitar a capacitação de negociadores por Pólos Regionais de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres e Tangará da Serra.