Polícia

GCCO prende alvo de operação da Polícia Federal por tráfico internacional de drogas em Mato Grosso

A Polícia Civil de Arenápolis (255 quilômetros de Cuiabá) e a Gerência de Combate ao Crime Organizado cumpriram dois mandados de prisão contra um homem considerado foragido da Justiça Federal por crimes de tráfico internacional de drogas e organização criminosa. O suspeito, de 42 anos, é um dos alvos da operação “Grão Branco”, deflagrada pela Polícia Federal, em maio do ano passado para desarticular quadrilha responsável por tráfico internacional de drogas.

Contra o foragido havia duas ordens de prisão em aberto, sendo um mandado de prisão definitiva expedido Comarca de Sapezal) e o outro de prisão preventiva expedido pela Justiça Federal.

As equipes da Delegacia de Arenápolis e da GCCO, que estava em diligências na região, receberam informações sobre o paradeiro do foragido e conseguiram localizar o suspeito em uma residência no bairro Vila Nova, onde foi dado cumprimento as ordens judiciais. “Um foragido da Justiça, alvo de uma importante operação de combate ao tráfico internacional de drogas deflagrada pela Polícia Federal e que a Polícia Civil, sempre atenta conseguiu efetuar sua prisão”, destacou o delegado da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira.

Deflagrada pela Polícia Federal em maio do ano passado, a operação tinha o objetivo de desarticular um grupo criminoso envolvido com tráfico internacional de drogas. As investigações iniciaram em janeiro de 2019, quando a Polícia Federal e o Grupo Especial de Fronteira, apreenderam 495 quilos de cocaína, em  Nova Lacerda.

Na operação, foram cumpridos 110 mandados judiciais, nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Amazonas, Maranhão, Pará, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

Entre os mandados, 38 de prisão e 72 de busca e apreensão foram expedidos pela 1ª Vara da Justiça Federal de Cáceres. A Justiça Federal determinou, também, a busca e apreensão de 10 aeronaves e o sequestro de todos os bens de 103 pessoas físicas e jurídicas investigadas.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)