Polícia

Delegado nega que houve prisões de envolvidos no assassinato de chef de cozinha em Sinop

O delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Bráulio Junqueira, negou, há pouco, em entrevista ao Só Notícias, que ocorreram recentes prisões de suspeitos envolvidos no assassinato do chef de cozinha João Guilherme Velasco, de 25 anos, em Sinop, conforme foi divulgado, esta manhã, por um site na capital, repercutido em outros veículos, e que haveria nova linha de investigação.

“Não afirmei nada disso. Não prendemos ninguém. Não afirmei absolutamente nada sobre prisões. O caso segue sendo investigado. Nos últimos dias resolvemos cinco casos (crimes). Estamos trabalhando para resolver esse ainda. Aqui não é filme. Se fosse mais fácil já tinha resolvido”, explicou o delegado. A investigação continua para identificar e prender os criminosos.

No mês passado, conforme Só Notícias já informou, Junqueira descartou que João Velasco tivesse sido morto por motivação passional. Ele foi assassinado, a tiros, em abril, na rua das Castanheiras, na região central de Sinop, pouco tempo depois de deixar seu local de trabalho (restaurante).

À época do crime, a polícia apontou que as imagens mostram a dupla, em uma motocicleta (marca e modelo não identificados), que se aproxima de João Guilherme, que estava saindo do local de trabalho e caminhava. Eles se aproximaram e um atirou pelas costas.

Redação Só Notícias (foto: Só Notícias/arquivo)