Polícia

Adolescentes acusados de colocarem fogo em viatura da polícia em MT são apreendidos em Goiás

Os dois adolescentes, de 15 anos, foram apreendidos em uma residência durante operação conjunta entre policiais civis e militares, em Aragarças (381 quilômetros de Goiânia), esta tarde. Eles são acusados de colocaram fogo em uma viatura GM Trailblazer do Grupo Armado de Resposta Rápida (GARRA) da Polícia Civil, que estava estacionada em frente à delegacia de Água Boa (741 quilômetros de Cuiabá), na sexta-feira (17).  As câmaras de segurança da delegacia registraram toda a ação criminosa. Os dois jovens se aproximaram do veículo, jogam possivelmente combustível na parte da frente e colocam fogo. Depois disso, saíram correndo.

De acordo com a assessoria, os dois suspeitos são menores de idade e um deles de apenas 15 anos teria sido abordado ontem, na companhia de mais três infratores, por suspeita de tráfico de drogas. Com eles não foram encontrados drogas, mas adolescente (que já foi apreendido em várias ocasiões por tráfico de drogas, roubos, ameaças a policiais e outros delitos), acabou sendo conduzido à delegacia para prestar esclarecimento referente a um aparelho celular sem procedência encontrado com ele. Após ser ouvido, foi liberado, mas saiu ameaçado aos policiais e seus familiares.

Em buscas realizadas foram apreendidas na casa do adolescente a camiseta vermelha e uma bermuda usada por eles, as quais aparecem nas imagens. Uma motocicleta que o grupo do adolescente havia roubado na noite anterior, que nem havia registro ainda da ocorrência, também foi apreendida.

A Polícia Civil já apurou que o menor estava monitorando a viatura que geralmente fica guardada na Delegacia Regional, que fica no mesmo bairro, mas em outra quadra. O menor foi visto rondando a localidade e depois a delegacia municipal.

A delegada regional da Polícia Civil, Luciana Batista Canaverde explicou, anteriormente, ao Só Notícias, que a viatura era uma das cinco mais bem equipadas e atendia mais de 8 delegacias da região do Araguaia. “Era um dos cinco veículos com características e equipamentos modernos no Estado. Agora só temos 4 em atividade em Mato Grosso, que está vivendo calamidade financeira. Quem fez isso com intenção de atacar a Polícia Civil ou algum policial específico, acabou atingido toda a segurança do Estado. No geral, é uma perda muito grande para toda a sociedade. Quem pagou essa viatura não foi a polícia e sim a população através dos seus impostos. Vamos continuar combatendo o crime da mesma forma, mas com uma viatura a menos”.

Só Notícias/Cleber Romero (fotos: divulgação)