terça-feira, 21/maio/2024
PUBLICIDADE

Acusado de triplo homicídio em Alta Floresta está foragido há 1 ano

PUBLICIDADE

Após pouco mais de um ano dos crimes que chocaram os moradores de Alta Floresta, o principal acusado continua solto. Márcio Pires Gonçalves, 26 anos, é acusado pela morte de Bruna Godoy dos Santos, 18 anos, do namorado dela Rodrigo Rocha Siqueira e do pai dele, Darci Nunes Siqueira, ocorridos em 26 de fevereiro do ano passado. Até hoje, Márcio não foi localizado.

O mandando de prisão preventiva continua em aberto. Foi expedido ainda ano passado pelo magistrado Rhamice Ibrahim Abdallah, que na última semana, determinou a intimação do acusado para responder pela acusação e “alegar tudo o que interesse à sua defesa, oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas qualificando-as e requerendo sua intimação, quando necessária, por escrito e através de advogado devidamente habilitado”.

O mandado foi expedido na última quinta-feira e o prazo é de dez dias a partir da data de intimação. No processo, o crime é descrito como triplo homicídio qualificado. O crime, conforme Só Notícias informou, ocorreu na loja de Darci (uma loja de fabricar chaves), na avenida Ariosto da Riva. Bruna e Rodrigo foram os primeiros a serem atingidos. Darci, que estava em uma lanchonete na esquina, abaixou a cabeça para entrar na loja, que estava com a porta entreaberta, levou uma coronhada e foi baleado. Pai e filho morreram no hospital, já Bruna, no local.

O acusado fugiu, com a moto de Rodrigo, localizada três dias depois. Darci era pioneiro, dono da loja de chaves próxima a prefeitura. Rodrigo trabalhava no mesmo pédio, anexo, com recarga de cartuchos. Bruna havia rompido relacionamento com Márcio.

 

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Polícia recupera moto furtada em empresa e prende suspeito em Alta Floresta

A vítima, de 51 anos, declarou à Polícia Militar,...

DHPP prende acusado de matar jovem a tiros em Sinop

Investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa...
PUBLICIDADE