sexta-feira, 23/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

"Era Deus nos ajudando"

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Recentemente, tive o desejo no coração de escrever este breve e singelo relato, muito provavelmente, em virtude da data tão importante que se aproxima, a qual invariavelmente acaba nos comovendo e convidando à reflexão. Em certa ocasião, durante um dia atribulado na DERRFVA, no qual vários policiais civis trabalhavam visando elucidar um crime gravíssimo, no momento em que eu passava pelo corredor da Unidade, casualmente um investigador comentou, em tom de alegria extrema, que "era Deus nos ajudando", referindo-se ao fato de que a barbárie cometida estava sendo descoberta com detalhes por conta de uma circunstância quase que insignificante, que poderia até passar despercebida.

Gostaria de dizer que perfilho do mesmo pensamento que o dito investigador, ou seja, não posso acreditar que uma simples infração de trânsito, uma simples ultrapassagem indevida ocorrida nos confins de outra Unidade da Federação, que tenha propiciado o esclarecimento do caso (um hediondo homicídio friamente arquitetado e perpetrado em Cuiabá por inescrupulosos indivíduos, que assassinaram uma indefesa vítima com dezessete golpes de faca), que isto se tratasse apenas de um "acaso", "coincidência", "golpe de sorte", ou ainda, o "destino", como ouvi muitos dizerem.

Não, não posso crer nisso! Em que pese toda a competência, empenho, tirocínio e perspicácia dos policiais Civis e Rodoviários que atuaram no caso, creio que efetivamente foi Deus nos ajudando, nos dando um "pequeno empurrão", como se nos dissesse: "Siga por aqui, comece a investigar esta possibilidade" e, daí por diante, agiram com zelosa eficiência os policiais.

Escrevo este pequeno e singelo texto para que, neste ano que se finda, não nos esqueçamos de agradecer a Deus pela proteção com que nos agraciou, pois temos profissão espinhosa e árdua, estando mais sujeitos a eventuais dissabores, e pedindo guarida nos tempos vindouros.

Não podemos olvidar, ainda, que nas festividades natalinas, não devemos apenas trocar presentes, mas celebrar o nascimento do menino Jesus, nosso Salvador. "Pax Dei"

Adriano Henrique Sanches dos Santos é delegado de Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, lotado na Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERRFVA), de Cuiabá.

 

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...