Opinião

Questao de segurança !

Recente ocorrência quando policiais atiraram por engano contra ocupantes de um caminhão que retornavam de uma pescaria, atingindo duas crianças gravemente, nos leva a indagar. Onde estaremos em segurança? Em casa estamos protegidos? Reflitamos sobre um texto:

“Você sabe como o bafio pestilento que vem dos pântanos consegue desaparecer com as rajadas do vento perfumado dos prados e jardins? Observe o modo como a sombra noturna fica desfeita sobre a ação da luz solar a cada manhã e como o filete de água permanente que passeia sobre uma rocha consegue cortar-lhe o seu corpo pétreo e lixá-la.

Dentro desses enfoques podemos meditar sobre o efeito dos pensamentos elevados, quando agem sobre as incontáveis ocorrências da existência.

Nas atividades do lar, não são poucos os dias de penumbra ou de sombra intensa motivados pelos temperamentos exasperados, irascíveis, odientos, ou por mil e uma tormentas que invadem a vivência da família, que podem até provir de motivos externos ao grupo doméstico, mas que o apanham no lance da surpresa.

Não são poucos os corações endurecidos, os sentimentos rochosos de almas demarcadas por muitas frustrações, por profundas amarguras ou decepções alimentadas que se converteram em seres empedernidos que oscilam da indiferença à crueldade no seio da família.

Os problemas variados somam-se a variadas bênçãos que todos, quase sem exceção, costumam viver dentro dos lares, sem atinar muitas vezes quanto aos caminhos que lhes permitam romper a teia das dificuldades.

Introduza a prece no lar. Ela é como a brisa leve, dúlcida e perfumada, desfazendo os fétidos que se insinuam aqui ou ali. A vibração da mente que ora tem o poder de iluminar consciências, de clarear discernimentos, trazendo solução para diversos problemas de difíceis aparências.

Quem ora no recinto doméstico vai, aos poucos, sensibilizando as almas de todos, mesmo aquelas que, aborrecidas consigo mesmas, desforram na vida e nos outros, como se todos devessem suportar seus impulsos venenosos ou suas posturas de chumbo.

Você que costuma ter cuidados com a qualidade dos alimentos de uso familiar, que se esmera em oferecer o melhor aos de casa, em todos os sentidos, não deverá esquecer ou menosprezar a eloqüente contribuição da prece como aroma inebriante que desponta no jardim do lar, ou como medicação formidável frente às enfermidades morais em curso.

Reúna quem se disponha, sem nenhuma pressão que não seja a da fraterna persuasão, e de maneira descontraída, como quem se prepara para receber um querido e íntimo amigo, ore. Abra o coração e deixe que a sua pulsação sensibilizada cheque à boca. Agradeça as alegrias e tristezas do dia vivido ou por viver.

Abra uma pequena página, seja de O novo Testamento, onde se acham os fatos e feitos de Jesus, seja de o Evangelho Segundo O Espiritismo, onde encontramos os ensinamentos da moral do Cristo sob a visão de luminosos Mentores da vida planetária, ou de qualquer outro trabalho inspirado nas leis de Deus, sobre a felicidade humana. Leia um pequeno trecho que lhe permita fácil entendimento, rápidos comentários que atestem a utilidade para todos. Banhe a alma nessas mensagens felizes e conclua esses momentos de sublime evocação das bênçãos divinas ao Senhor a sua gratidão.

Evite utilizar esses instantes renovadores para ‘sermões’ despropositados, e cansativos, ou, ainda, para excesso de recitações que simulam preces, mas que são falatórios ditados por forte ansiedade de contar com privilégios indevidos, diante da imparcialidade de Deus. Estabeleça um comentário fraterno em torno dos textos lidos, no qual quem quiser possa colaborar sem constrangimento.

Instale esse regime de prece em seu lar, e, enquanto em toda a parte a desordem perturbe, o crime negreje e a dor faça sucumbir, junto a você e os seus, pela ação da prece tudo se torne construção da harmonia, cultivo da virtude e explosão de esperança. Ao longo dos dias você experimentará os resultados venturosos da sua iniciativa “

Que estas orientações do Espírito Jones, psicografadas por Raul Teixeira, sirvam para nos conscientizar que cada um pode fazer a sua parte para a diminuição da violência. Prece do lar seja qual for o nosso credo religioso é questão de segurança.

Valcir José Martins é administrador, Maringá- Pr.