Opinião

Protesto dos produtores rurais

Caro colega Daniel, vou contar uma rápida estória, que talves você
até já conheça, mas vale relembrar.”O gerente de um escritório chamou um
técnico em informática para consertar a sua melhor máquina, essa máquina
custaria no mercado hoje em torno de R$ 10.000,00, o tecnico olhou e viu que
o problema era apenas um parafuso que estava solto, apertou o parafuso e fez
a nota de cobrança de R$ 1.000,00, o gerente ficou chocado, – como o Sr. tem
coragem de vir aqui e me cobrar R$1.000,00 apenas para apertar um parafuso?
Só pago mediante uma nota fiscal que esclareça o motivo desse valor exorbitante. O
tecnico com toda calma tira da pasta um bloco de nota e entrega uma nota fiscal ao
gerente com a seguinte justificativa para o valor cobrado:

Apertar parafuso:R$ 1,00
Saber qual parafuso apertar: R$ 999,00

Voce que é um profissional liberal sabe que conhecimento não tem preço. Se
você acha tão fácil ter uma plantação financiar tudo e depois comprar uma
caminhonete para fazer protestos, porque você não tenta, no quintal da sua
casa mesmo plantar o que você come? O colono é motivo de comédia para a
maioria dos mauricinhos que vivem na cidade, niguém quer trabalhar no campo,
e enquanto vocês estão na piscina, no domingo a tarde, tomando uma cervejinha,
torrando o dinheiro, o colono está lá na fazenda trabalhando, e os
empregados que poucos são, não pelo fato de ganharem mal, porque eles são
registrados de acordo com o sindicato dos trabalhadores rurais, mas porque
ninguém se dispõe a ficar na fazenda sem chuveiro eletrico ou sem televisão
e a falta desses materiais, não é porque o agricultor nao quer mas porque o
governo ainda não colocou energia eletrica no campo, como existe na cidade a
décadas, depois de tudo isso, de um ano de trabalho de sol a sol, sem
domingo nem feriado o colono não pode ter uma caminhonte nova? O que mais
vcs querem?Será que vc saíria de trás do seu computador para acompanhar pelo
menos uma safra do começo ao fim? Agricultura é soisa séria! e se você “NÃO
TEM CONHECIMENTO”, de como é duro trabalhar na roça, é melhor não criticar.
Vou faver uma última pergunta: como foi o seu café da manhã hoje? e o seu
almoço? será que se todos os agricultores se unissem e não plantassem mais
nem um pé de tomate, você teria o que jantar?

Regiane Pereira Borges é internauta em Sinop