quarta-feira, 28/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

PPS – restabelecendo a verdade

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

 Depois que Blairo Maggi e seu grupo deixaram o PPS pouco se falou do Partido na imprensa, excetuando-se a destacada ação parlamentar do Dep. Percival Muniz. Recentemente, o Dep. do PPS e outras lideranças conseguiram convencer o Sr. Mauro Mendes a deixar o Partido da República, filiar-se ao PSB, e compor um bloco para disputar o Governo do Estado (PPS, PDT, PV, PSB, PC do B e outros).

            O PPS, através do Dep. Percival Muniz, de outros companheiros e de outras lideranças, se fez presente nessas reuniões. De repente, eis que surgem alguns companheiros pepessistas que, ao invés de convocar a todos para o debate, resolveram fazer uma espécie de adesão automática a uma das candidaturas já postas – a do PSDB. Com toda franqueza, adesão automática em política ou é negociata ou falta de inteligência.

            O pequeno grupo, descontente com a alternativa Mauro Mendes, nesse início de ano, vem alimentando sistematicamente a imprensa e fornecendo dados inverídicos a respeito do posicionamento que o PPS deverá tomar na sua convenção, em junho. E o objetivo deste artigo, portanto, é reestabelecer a verdade. Vamos aos fatos:
1. o Congresso Nacional do PPS, no ano passado, definiu que o nosso candidato a presidente da República será José Serra. Só isso. Não decidiu com quem vamos nos coligar nos estados. O presidente Roberto Freire foi incisivo: “a Direção Estadual do PPS de Mato Grosso vai decidir a questão local. Porém, é impossível montar palanque para Dilma Roussef”.
2. O Secretário Geral do PPS, Rubens Bueno, me reafirmou a deliberação acima, com a seguinte mensagem, a qual transcrevo na íntegra: “Caro Máximo, Gostei de sua análise e estamos atentos. Não se esqueça, temos uma orientação do XVI CN para o plano nacional, mas a decisão no plano estadual será do Diretório de MT, resguardando o palanque do Serra. Forte abraço, Rubens Bueno”- (grifo meu).

Concluindo:
o candidato do PPS à presidência da República é José Serra ou outro nome que a coligação nacional PPS/DEM/PSDB apresentar; não haverá intervenção do Diretório Nacional no Diretório Estadual de MT como estão insinuando, oportunisticamente; O PPS de Mato Grosso poderá estar com Mauro Mendes, com Wilson Santos, com Jaime Campos, com Silval Barbosa, com outro nome que aparecer e até mesmo com nome próprio. Sobre isso não há nada, absolutamente nada, decidido pelo Diretório Estadual;

Aos companheiros que estão tentando fazer adesão automática quatro meses antes da convenção, sugiro que controlem a ansiedade porque estamos apenas no começo da travessia. O PPS tem orgulho de nunca ter sido sigla de aluguel e nem de dar apoio automático em troca de cargos. Queremos ajudar a construir uma candidatura que tenha o melhor projeto político para a sociedade inteira de Mato Grosso e não apoiar candidato que nos brinde com carguinhos para agradar a militância. Sou fundador do PCB em Mato Grosso, assim como, do PPS. Atualmente, sou membro da Executiva Estadual na função de Coordenador de Formação Política. Testemunhei, nos últimos 26 anos, que o partido teve fortes lideranças – Blairo, Jair Mariano, Percival, Roberto França, etc. E eles sempre tiveram a maioria absoluta do diretório estadual. Portanto, não se iludam. A nossa cultura política é assim. Mas, ao final, chegaremos a bom termo e unidos – podem acreditar. Mato Grosso é maior que os nossos interesses individuais e momentâneos.
 
 
Antonio Carlos Maximo é professor da UFMT e membro da Executiva Estadual do PPS

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

A grande expectativa coletiva

É muito fácil presentear quem não precisa de amparo...

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...