quarta-feira, 28/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Por que ninguém vai às audiências públicas ?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

É porque elas são usadas por políticos, talvez para o afago de vaidades oratórias, diria Rui Barbosa.
Pois, convocar o público para ficar ouvindo discurso canhestro, que mal e mal tergiversa o assunto de tela, é desfaçatez. Afasta o público. Audiências públicas têm protocolos, regimentos que se não forem seguidos servem mais para o desserviço democrático, do que para o esclarecimento.  Por que todos têm que se exibir?

Quem convocou a reunião é que deveria, e somente ele, fazer esclarecimentos, apresentar o problema, e bola para a frente com o público todo jogando. Mas não. Imaginem, cada membro da mesa, cada vereador, cada otoridade, cumprimentando pomposamente uns aos outros, muito ciosos de seus excelsos privilégios, inflados sei lá de que tipo de convencimento, cumprimentando "dignas autoridades", passo a passo empoladamente como se fosse o instável orador a "ultima coca cola do deserto". Que sacrifício… A gente cochila, desperta, o filho da mãe ainda está cumprimentando pretensas autoridades, que tortura. Mas dá-se crédito, agüenta-se, vai melhorar… Vem outro. E, oh Deus! piorou, quer fazer mais bonito, e lá vem estética oratória ainda mais modorrenta. Dá saudades de Sucupira…
Claro que o público começa a sair, talvez para nunca mai voltar.

Os problemas do trânsito e dos estacionamentos em Sinop são, nada mais e nada menos, que as dores do crescimento. Graças a Deus temos tal problema. Quem não estiver satisfeito que se mude para Santa Carmem, disse um orador. Para o caso da Julio Campos e adjacências é coisa muito séria. A piora constante do transito pode piorar o comércio de um dos mais importantes pólos comerciais do Estado.

Estacionamento rotativo pago é excelente proposta, mas precisa ser usado como instrumento de controle, e não como fonte de renda, ainda que seja para caridade. Os comerciantes da Avenida precisam comparecer às discussões, trazendo suas opiniões.

A melhor proposta parece ser uma hora grátis, e depois cobrado de 2 em 2 horas, não muito baratinho. Assim, as lojas continuarão sendo a excelente e tradicional fonte de consulta de preços e mercadorias antes da decisão de comprar, portanto, sem pagar para estacionar.

Emerson Ribeiro – cardiologista em Sinop
[email protected]

 

 

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

O Indizível

Quando menino, a mãe pedia para eu ir ao...

A grande expectativa coletiva

É muito fácil presentear quem não precisa de amparo...

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...