terça-feira, 27/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Por Igualdade e Respeito

Gisela Simona é deputada federal, integra a Bancada Negra da Câmara dos Deputados, é a 1ª deputada federal declaradamente negra de MT, presidente do União Brasil Mulher MT e servidora do Procon-MT
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Desde 2011 no Brasil, por força de lei, no dia 20 de novembro de 2023 é celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra em alusão a morte de Zumbi, líder do Quilombo de Palmares, símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no País: uma data para reflexão sobre a igualdade racial.

Na busca por essa igualdade racial e a justa representatividade do povo negro no Parlamento brasileiro, no último dia 1º de novembro de 2023 foi aprovado o projeto de Resolução 116/2023 que “Cria a Bancada Negra da Câmara dos Deputados”.

Caberá a Bancada Negra zelar pela participação de seus respectivos parlamentares nos órgãos e nas atividades da Câmara dos Deputados, bem como a participação no Colégio de Líderes; o uso da palavra, durante o período destinado às Comunicações de Lideranças, por 5 (cinco) minutos semanais – para dar expressão à posição de seus respectivos deputados quanto a votação das proposições e conhecimento das ações de interesse da Bancada.

Importante o registro que 56% da população brasileira declara-se pretos e pardos e, na atual legislatura 31 parlamentares declararam pretos e pretas e 91 declararam com a cor parda no formulário de registro de candidatura da eleição, portanto, somos aproximadamente 24% de 513 parlamentares da Câmara dos Deputados, sendo incontroversa a legitimidade da criação da Bancada.

Registra-se ainda que a criação da Bancada Negra não gera custos adicionais, ou seja, não onera os cofres públicos.

O dia 20 de novembro de 2023 é a data da instalação da bancada e será a data anual para escolha dos novos representantes, uma homenagem ao Dia da Consciência Negra  e à Zumbi dos Palmares. Uma grande conquista do povo negro e toda sociedade.

Infelizmente no Brasil ainda é povo negro que ouve sons de macaco no estádios de futebol, ainda é o povo negro a maioria perseguida, revistada e até barrada de entrar em estabelecimentos comerciais e outros lugares. Embora sejamos todos  humanos, o último censo do IBGE revela que a população negra no nosso país ainda é a que tem menos acesso a bens e serviços básicos como saúde, educação, moradia, trabalho e renda. 

Assim, neste dia nacional da Consciência Negra, como única deputada federal declarada negra na história do estado de Mato Grosso,  conclamo a todos os mato-grossenses, independente de raça,  a lutarmos juntos, contra o racismo e contra as desigualdades raciais no Brasil.

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...