Opinião

Oração por ocasião das eleições

“Se a política é ‘a forma mais perfeita de caridade’, como enfatiza o Papa Francisco, por ser capaz de erradicar a fome e a miséria, as estruturas políticas são passíveis de severa crítica quando favorecem a desigualdade e a corrupção” (Fr. Betto).

Estamos na iminência de mais uma eleição. Devemos exercer nossas responsabilidades de cristãos e de cidadãos brasileiros. Por exemplo, é nossa responsabilidade rezar pelo nosso país e escolher bem aqueles que nos representam, com consciência e liberdade. Que Deus nos conceda discernimento e sabedoria para votar bem e de acordo com os princípios que norteiam a nossa vida.

Senhor Deus, queremos ser iluminados pela fé e pelo amor na hora de votar. Queremos pensar no Brasil e nas escolhas que faremos nas urnas. Nós sabemos que a política, em termos ideais, é uma das formas mais excelentes de se praticar a caridade porque, em última análise, o que está em jogo é a busca o bem comum, e não de interesses pessoais e/ou corporativos. Por isso, vos pedimos, ó Deus: Enviai o Espírito Santo, para que tenhamos juízo na hora de depositar o nosso voto na urna. Não é tarefa fácil, por isso faz-se imperativo clamar as luzes do Espírito de Deus.

Queremos eleger candidatos comprometidos com o respeito e a proteção da vida humana, desde a concepção até seu declínio natural. Deus é o autor e o dono da vida.

Queremos votar em políticos comprometidos com os valores do evangelho, da família, do respeito às minorias e do bem comum.

Queremos escolher representantes comprometidos com a ética e com a justiça social, com a defesa dos empobrecidos e dos injustiçados, e que se posicionem sempre contra a corrupção e a cultura da violência.

Queremos que os servidores do Executivo e do Legislativo amem o Povo, que sejam limpos, honestos e transparentes. Que não sejam demagogos nem parasitas dos bens públicos, e muito menos afeitos à mentira.

Queremos votar em pessoas dignas, de virtudes provadas e comprovadas. Eleger pessoas que não estejam mancomunados com milícias e quadrilhas organizadas infiltradas nos esquemas de poder para dilapidar o patrimônio comum e destruir a esperança dos mais pobres é dever moral de todo seguidor de Jesus.

Por fim, Senhor, queremos representantes que “caminhem na justiça, digam a verdade e não enganem o semelhante; que desprezem um benefício extorquido e recusem um presente que suborna; que fechem os seus ouvidos à voz do crime e cerrem os olhos para o mal não contemplar” (cf. Is 33,15)

Que não nos esquivemos das nossas responsabilidades! Até porque “quem tem nojo de política é governado por quem não tem”. Quem se omite não tem direito de resmungar. Sabemos que nosso voto contribui para a construção de um Brasil mais justo e fraterno, marcado pela igualdade, dignidade e justiça social. Deus, iluminai-nos e protegei-nos, e velai por nós, por nossas escolhas e por nossa Pátria!

Participemos do pleito! Cumpramos o nosso dever! Façamos a nossa parte! Votemos com o firme desejo de que todos “tenham vida e vida em abundância” (cf. Jo10,10).

Que assim seja.

Padre Roberto Gottardo, SJ, - pároco da paróquia Santo Antônio de Sinop