quarta-feira, 28/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

O entendimento é o começo de tudo

Wilson Carlos Soares Fuáh – É Especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas em Mato Grosso - [email protected]
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Sempre encontramos pessoas que fica muito triste com o sucesso dos outros e se embriagam com a taça de suas infidelidades e que são transformadas em desprezíveis condutas desumanas.

 As divergências nascem da terrível cegueira natural de relacionamentos e do mau pensamento das pessoas que querer ter o que não conquistou e quer ser o que não é, e interiormente consegue sobreviver na cega conduta dos olhos que provém dos gelados corações, e colhem frutos de perdidas almas que perambulam soltas por aí e por aqui, são seres que ficam tristes com a alegria dos outros e vivem confinados em ilusões confabuladas dentro de um vazio de um coração equivocado, e que sobrevivem dentro de um olhar invejoso. 

Há quem tenta invadir os nossos pensamentos com motivações conflitantes, com o propósito de provocar picuinhas que trazem como fator e senso de vida, por insanidade provocada ou por querer estar em nosso lugar. 

Há quem pense ser o que verdadeiramente não é, e começa a qualificar ou desqualificar quem ele escolheu para provocar atritos desnecessários e enfrentamentos para destruir alguém que ele elegeu como seu inimigo.

Há quem vive de momentos frustrantes por tentar ser igual a alguém que ele nunca vai ser, e que são ações que habitam nas mentes invejosas, mas pior que isso, que produz a insatisfação do próprio ego, que de tão engrandecido pelas tolices que praticam se julgam superiores, intelectualizadas e por quer ser glamorosas, vivem a praticar desonestidade intelectual através de lamentáveis mentiras.

Para suporte os contratempos de relacionamentos, devemos apenas acreditar na justiça divina e na lei do retorno, pela qual tudo de errado que alguém venha a praticar, de um modo ou outro, lhe servirá de prato perfeito à alma e aos merecimentos que vier a ter, e a partir daí, essas pessoas vestirão as suas roupinhas ingratas do remorso e quem sabe um dia poderá a gerar a possibilidade de evolução intelectual e espiritual, e quem sabe possa um dia ser feliz com a felicidade realizadora dos seus pares contemporâneos. 

É importante, sabermos que não vamos ser o que não somos, e termos certeza de  nunca teremos o que não é nosso, somos apenas merecedores do que somos e do que temos, mas é o suficiente, mas  sempre teremos pessoas querendo ser o que somos e querendo ter o que temos, mas  para o bom entendedor, uma palavra basta, a inveja somente é direciona a quem tenha algo de sublime ou superior, ou tem a essência rica a oferecer, e ela só vem de alguém que se julga sabedor de tudo e das coisas, e não reconhece a magia dos sentimentos nobre. 

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

A grande expectativa coletiva

É muito fácil presentear quem não precisa de amparo...

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...