Opinião

O dom da percepção

Ao desapegar dos desejos envelhecidos, é o primeiro passo para conseguir receber algo novo em troca, e essa nova realidade é o que fará crescer em forma de merecimento vindo dos novos desejos e do poder evolutivo das conquistas, pois esse estado de graça trará possibilidades de felicidade e que são momentos reservados para poucos.

O dom do desprendimento, é que separa as pessoas em várias tendências:
1 – Entre nós circulam pessoas que exercitam diariamente a busca por uma vida melhor e acreditam que só se alcança o sucesso com muito trabalho, mas esquece-se de viver, deixando para traz os prazeres dos sentimentos recíprocos;
2 – Existe entre nós um pequeno grupo de pessoas que preferem viver na simplicidade e desfazendo de tudo que leva a alcançar o impossível, pois os sonhos se completam até o próximo passo, independentemente da realização, tem o poder do aceitamento, assim, vai evoluindo espiritualmente, e tornando-se alguém quase puro, vivendo distante do sucesso, por isso, o seu momento permite enxergar mais adiante e tem o poder da fé que vem além do visível.

3 – Existem também milhares de pessoas que levam a vida projetada em objetivos impossíveis, apesar dos suas possíveis conquistas estarem na essência do futuro, porém são guiados pelas ilusões que chegam a serem ilimitadas e esquecem que todas as linhas de sua existência foram escritas por um ser muito superior e o seu poder se resume nas ações indefinidas e por isso estão sempre em busca de caminhos que são apagados durante o jogo cruel e selvagem imposto pela regra da vida moderna.

Só podemos almejar algo que nos completa se tivermos condições concretas de realizá-los; sofrem menos aqueles que não ultrapassam os seus limites possíveis e planejam as metas de vida validamente medindo todas as possibilidades. Quando nos organizamos fazendo a faxina da alma e projetando-nos para uma finalidade deseja e sem perceber desenvolvemos uma força mental com especialização no alvo definido, sem desperdícios de energias positivas.

A fraqueza mental leva muitas pessoas a matar as possíveis conquistas bem antes de visualizar os caminhos certos para alcançá-las, por isso é que faz sentido viver o presente com intensidade e com o foco definido no futuro. Os momentos passados, bons e ruins, são como lições que nos ajudam a sonhar e planejar o amanhã. A principal razão de estarmos por aqui é tentar ser feliz e dar o melhor de nós para aqueles que vivem ao nosso lado.

Viver é quase uma obrigação, mas saber viver com alegria e exercendo a possibilidade de novas conquistas é uma escolha individualizada e só depende de cada um de nós escrevermos a nossa própria história.

O poder mágico das trocas está ao alcance de todos, basta entenderem que nem todas as coisas são espetaculares, mas fazem parte das etapas da vida e as coisas pequenas também fazem parte da magia de viver feliz e por isso vem carregada de encantamentos quando o coração não está endurecido.

Wilson Carlos Fuáh – Economista Especialista em Administração Financeira e Relações Políticas e Sociais em Mato Grosso - [email protected]