domingo, 3/março/2024
PUBLICIDADE

Eu e minhas nuances da vida política

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Apesar de minha formação universitária ter sido Comunicação Social com especialização em jornalismo, durante algum tempo, por necessidade, fiz parte da rede pública de educação ministrando, interinamente, aulas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. Por conta disso sou, constantemente, cobrado, por algumas pessoas, em questões gramaticais e ou linguísticas.

Não me constranjo em revelar que muitas vezes me vejo em situações embaraçosas, do tipo: "Como professor de Língua Portuguesa, você pode confirmar…" ou então: "Impossível que você não saiba!" Lembro de uma vez que fui questionado, por um aluno do curso de alfabetização de jovens e adultos, sobre o significado da palavra "etecétera", cujo uso e pronúncia originalmente corretos seria "ET Cetera", por se tratar de uma expressão de origem latina (ET caetera), etc., de forma abreviada, substituindo as expressões "e os restantes", "e as demais coisas". Não fui feliz. Meu aluno impostou a voz e, como me desafiando, bradou: "Eu ‘disconcordo"! Etc. quer dizer este trecho continua!". Diante do "disconcordo" e da categórica afirmação, eu me silenciei.

Pensando nessa e em outras situações por mim enfrentadas, parti para um estudo mais aprofundado da nossa Língua Portuguesa. Em um dos intermináveis momentos de pesquisa, deparei-me com palavras que, embora sinônimas, dependendo da situação, são diferentemente empregadas. Exemplos: falar e dizer, ouvir e escutar, deformação e deformidade e outras merecedoras de uma análise minuciosa – quesito (ou requisito) que estou exercitando e me tornando um verdadeiro craque.

O horário eleitoral – as mensagens dos políticos – é o melhor momento para esse exercitar e tirar conclusões na escolha dos candidatos mais comprometidos ou compromissados com o povo. E, voltando ao parágrafo anterior, estão aí duas palavras sinônimas: comprometido e compromissado. Sinônimas, porém, com entendimentos opostos. Estar comprometido é estar obrigado a; estar compromissado é se dar a um compromisso. Vejamos: "Fulano de tal está comprometido", isto é: está obrigado a aceitar as ideias de sicrano, seguirá os mandos de sicrano; já nesta outra frase, "fulana de tal está compromissada", isto quer dizer: assumiu um compromisso e esse compromisso remete à idéia de comprometimento, a obrigatoriedade passa a ser com as ideias, com o participativo, com a participação do povo no processo administrativo.

Entenderam a diferença entre estar comprometido (a) e estar compromissado (a)? Linguisticamente o candidato ou candidata pode ficar à vontade em dizer que está comprometido (a) ou que está compromissado (a), porém, caberá aos eleitores o entendimento desse compromisso ou comprometimento. Uma dica: prefira os candidatos compromissados aos comprometidos. Pois bem, até a nossa próxima aula de percepção político eleitoral.

Carlos Alberto de Lima é jornalista em Alta Floresta
[email protected]

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Endometriose: A importância do diagnóstico precoce

O Março Amarelo começou! É o mês mundial de...

O Indizível

Quando menino, a mãe pedia para eu ir ao...

A grande expectativa coletiva

É muito fácil presentear quem não precisa de amparo...