Opinião

Ecologia X Economia

A energia elétrica, que acaba no Nortão com qualquer pé de vento, é a mesma que sobra nos rios dali e que os ecologistas não deixam ser gerada sob o pretexto do desastre ambiental Antes Caibis(30Mw) e Apicas(20Mw). Agora, as grandes Ha poucos dias foi travada, graças as ações dos ecologistas de plantão, a construção da UHE Dardanellos, sob o pretexto do impacto ambiental negativo da obra( Pode reduzir a beleza cênica do local).Lá, 260 Mw vão deixar de ser gerados graças a ação de “mestres” da triste e trágica UFMT (a mesma que obstruiu Manso, lembram!), secundada por uma justiça caolha ou calhorda que refenda essas sandices de “intelectuais” safados.

Impacto ambiental, antes de ser transformar paisagem,como dizem, é gente morrendo de fome por estagnação economica,fator que leva o homem ao desespero da destruição da flora e da fauna. Sem energia gerada ali mesmo, o Nortão esta fadado ao fracasso.Um eterno dependente dos humores de linhas de transmissões frageis e de potencia limitada.Não cresce mais do que deixam, não desenvolve como precisa e nem se liberta do grilhão da dependencia energética .Apenas produz para o consumo do sul maravilha.
Bico n´agua,morto à sede.

Roberto Loureiro é engenheiro eletricista e assessor parlamentar em Cuiabá