Opinião

E agora Betão…?

Muita conversa e pouca ação. Assim pode ser definido os últimos dias da equipe de futsal do Sinop EC. Há menos de trinta dias para o início da primeira fase da Copa Brasil de Futsal, o legitimo representante de Mato Grosso sequer montou um time para dar início aos treinamentos. Campeão invicto da Copa MT de Futsal, realizada em novembro de 2005, o presidente Roberto Trevisan (Betão) anunciou que o clube montaria uma boa equipe para representar o Estado na competição.

Enfático em suas declarações, Betão menosprezou até a participação do Sinop EC no campeonato Estadual de Futebol, alegando que a prioridade seria a participação do clube na competição nacional de futsal, tendo em vista que ela projetaria a cidade para todo o País. Com o aval de diretor de futebol, Vanderlei Destefani, o presidente cancelou a participação do clube no Estadual deste ano, possibilitando uma punição por parte da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), que colocou o Sinop de volta à Segunda Divisão.

Mas, diferentemente daquilo que pregava no final de 2005, Betão começou o ano de 2006 ameaçando de tirar o time também da Copa Brasil, alegando falta de recursos, inclusive cobrando em público a verba de R$ 50 mil prometida pelo deputado federal Ricarte de Freitas. Recebida a verba, Betão usando a mesma e ‘velha ladainha’, declarou que o interessante seria investir nas categorias de base, inclusive destinando parte deste recurso para tal fim, colocando a Copa Brasil em um segundo plano. O presidente só não explicou quais são estas categorias de base. Se o Sinop EC só existe no papel, como poderia ter categoria de base. Pura conversa mole.

Betão alega não estar menosprezando o futsal (embora é o que parece ser). Ele cita que tem grandes projetos para a modalidade de campo do Sinop EC. Mesmo sem especificar quais seriam estes projetos, ele diz que pretende investir na base para disputar algumas competições no segundo semestre. Quem pode me garantir que, chegando à época, o mesmo não mudará de opinião. Já mudou uma vez… Pode mudar de novo.
O que torna mais controversas suas declarações é o fato de que este mesmo futebol que ele desprezou por causa da participação da Copa Brasil de Futsal, agora quer prioriza-lo e ‘jogar por terra’ o sonho dos sinopenses de ver novamente a cidade de Sinop disputar uma competição nacional de futsal – feito realizado há mais de duas décadas.

Refuto a idéia da cidade de Sinop ficar fora da Copa do Brasil. Até porque, o direito de participar ou não da competição não é da atual diretoria do Sinop EC, mas sim, de toda uma cidade que acreditou e apoio o time para que este objetivo fosse alcançado. Agora chegou a hora de tornar este sonho em realidade. A cidade e seu povo merecem!
Nota: Nesta semana acontece uma reunião para definir se o time vai ou não disputar a Copa do Brasil de Futsal.

Paulo Teixeira – Redator esportivo da Gazeta Regional em Sinop
[email protected]