Opinião

Como ficam os que assistem?

É tão engraçado…você está em casa assistindo TV e de repente você fica
sabendo de reuniões, encontros a portas fechadas (e outras abertas mesmo)
daqueles que há menos de um ano brigaram, trocaram ofensas, não mediram
esforços (e nem dinheiro) para derrotar seus opositores. É minha gente essa
é a tal política, que só envergonha a nação e que na verdade não tá nem
ligando para o eleitor. Desculpe-me dona política, sei que a senhora não
surgiu para passar por isso e que foram os homens de má fé que fizeram isso
com a senhora.

Às vezes eu fico pensando…se o nosso presidente Tancredo Neves não
tivesse falecido? O rumo da política brasileira teria sido diferente? É uma
pergunta que todos deveriam se fazer!
Aí você é obrigada a ouvir qualquer coisa em nome da política. Aí você tem
que ouvir os homens da política criticarem um projeto que tem o dignificante
objetivo de acabar com a fome no país, só que esses homens abrem seus
contra-cheques milionários só para ver o que aumentou, esses homens recebem
14 ou 15 salários por ano, esses homens viajam as custas dos impostos que
até os miseráveis pagam, muitas vezes. Esses homens deveriam ter vergonha de
ir pra frente da televisão criticar, falar mal e até participar de CPIs.
Esses que só daqui há 1 ano e 6 meses vão se lembrar que o povo existe e que
aquela escola que foi construída por ele há mais de 4 anos está quase
destruída. Que os professores estão ganhando mal, qua as ruas da cidade e as
estradas estão cheias de buracos. Que milhares de crianças passam fome, não
estudam, passam por necessidades, não têm hospital, não têm casa para morar
e por aí vai.
Então políticos, não judiem da política, não judiem do povo. Aproveitem
que o novo milênio está recém começando e comecem de novo a fazer política
de verdade, e exerçam de verdade seus ofícios voltados para quem merece
realmente, O POVO. Deixem seus interesses pessoais e os interesses excusos
fora da política e da vida pública. Exerçam com respeito esse ofício (a
política) encantador.

Lorena Riambau Garcia
Relações Públicas