sexta-feira, 23/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

A escalada da violência

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

No último dia 12 deste mês de novembro de 2013, a Coordenação do Programa de Desenvolvimento da ONU (UNDP) apresentou seu útimo relatório intitulado " Segurança cidadã com a face humana: evidências e propostas para a América Latina", onde estão dados recentes, análises e propostas para que a sociedade e os governos nacionais consigam enfrentar, com seriedade, os desafios na área de segurança pública e definirem políticas de longo prazo para reduzir de forma efetiva os altos índices de violência que marcam tanto a América Latina quanto o Brasil em particular.

Além desse relatório, diversos outros estudos contendo uma riqueza de informações com inúmeros dados sobre a insegurança pública na América Latina e no mundo têm vindo a público nos últimos dois ou três anos, incluindo o Relatório do Banco Mundial sobre o desenvolvimento mundial em 2014, publicado também em 2013; Relatórios da OMS, o Estudo sobre Segurança cidadã nas Américas em julho de 2012 pela OEA; outro relatório da ONU também de 2013 sobre segurança e mortes no trânsito; os Mapas da Violência produzidos pelo CIBELA – Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americano em parceeria com a FLACSO-BR e pelo Instituto Sangari e o Anuário brasileiro de segurança pública de 2013, em sua sétima edição, do Forum Brasileiro de Segurnça pública.

Desta forma, tanto para quem deseja realizar análises sobre a situação da segurança pública tanto no Brasil quanto na América Latina e no mundo, bem como para gestores e autoridades públicas a quem cabe a definição e implementação de políticas nacionais, regionais, locais e setoriais nesta área, existem dados bem elaborados e atuais que permitem um diagnóstico correto, aprofundado e preciso da realidade e, a partir deste diagnóstico, promover as ações públicas e investimentos para que de fato a violência que está em processo acelerado de aumento possa ser contida e oferecer condições de vida, liberdade de ir e vir, trabalho, moradia e de lazer com segurança para a população que vive com medo.
Para um povo que paga tantos impostos, como é o caso do Brasil, não é justo e nem decente que faltem recursos públicos e a população tenha que pagar novamente para serviços privados em educação, previdência, saúde e também em segurança pública.

Estamos em periodo pré-eleitoral, onde os candidatos, a grande maioria dos quais já fazem parte da estrutura do poder, seja nos municípios, nos Estados ou no plano federal, há décadas e já fizeram muitas promessas ( a maioria das quais apenas demagógicas e mistificadoras da realidade) através das quais conseguiram e acabam sempre conseguindo enganar o povo e conquistar seus mandatos.

Em termos de violência o Brasil vive uma situação muito pior do que diversos países que há décadas estão em Guerra civil ou guerras contra outros países. Se somarmos a criminalidade como assassinatos, estupros, latrocínios, mortes causadas por lesões, sucídios, acidentes de trânsito e de trabalho bem mais de cem mil pessoas perdem suas vidas a cada ano.
Entre 2000 e 2012 foram assassinadas no Brasil 574.328 pesoas, número maior do que a população de Cuiabá no ultimo ano. Só em 2012 nada menos do que 50.617 crianças, adolescents e mulheres foram vítimas de estrupo. As taxas de homicídios entre 2011 e 2012, já no Governo da Presidente Dilma que deseja ser reeleita para mais quatro anos de governo, aumentaram em 7,8% e as de estupro em torno de 20%, chegando a mais do que isso em alguns Estados como SP 23%; RJ 24%.

Os acidentes de trânsito entre 2000 e 2012 ceifaram a vida de 488.242 pessoas. Os índices de fatalidade, apesar da Lei seca continuam aumentando impunimente a cada ano. As fatalidades em acidentes de trânsito com motos têm amentado muito acima dos índices de acidentes com outros tipos de veículos e também de pedrestes.

O Brasil está entre os países mais violentos do mundo, tanto em relação aos homicídios, aos estrupos e acidentes de trânsito, tanto em termos absolutos (número de vítimas) quanto em taxas de violência por cem mil habitantes. Oportunamente veremos as consquências da violência para o país e o nosso futuro!

Juacy da Silva, professor universitário, titular e aposentado, mestre em sociologia. [email protected] Blog www.professorjuacy.blogspot.com
Twitter@profjuacy

 

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...