Geral

Viveiro produz cerca 15 mil mudas por mês e processo de produção é referência para UFMT Sinop

O Viveiro Municipal Roque Canelli produziu, em abril, 17 mil mudas entre espécies ornamentais, arborização, frutíferas, nativa e reflorestamento. O volume varia pela dependência da coleta de sementes e da germinação, além da disponibilidade de poda dos canteiros para confecção de estaca – um pedaço do material vegetal da planta mãe que dará origem a uma nova muda.

A unidade serve como ponto de pesquisa e conhecimento por parte dos acadêmicos de engenharia Florestal da Universidade Federal de Mato Grosso e um grupo conheceu o processo de produção. A engenheira florestal Beatriz Miotto, que coordena  viveiro, explicou que “é um campo perfeito para esses alunos, porque além de se disponibilizar várias espécies de árvores, ela funciona dentro de unidade de conservação permanente. É um campo cheio para pesquisas científicas e conhecimentos. Esses alunos puderam conhecer nossa produção e associar a teoria aprendida em sala de aula com a prática aqui no viveiro”, disse ela.

Para arborização são disponibilizadas pelo menos 10 espécies diferentes; de frutíferas são 11; nativa e para reflorestamento também 10. Para ornamento, são produzidas 3, a lantana, periquito roxo e azuzinha. Apesar de ser carro chefe da produção, Beatriz informa que as mudas ornamentais não são disponibilizadas para população devido à alta demanda interna da Prefeitura de Sinop. “Atualmente toda nossa produção é absorvida pela própria prefeitura para embelezar nossas praças públicas e canteiros centrais. Desde maneira, não temos estoque para doação, por isso não são disponibilizadas”, explica.

O viveiro é aberto ao público de segunda à sexta-feiras das 6h às 12h, na avenida dos Flamboyants, no Jardim Botânico. Cada morador tem direito de escolher até três mudas diferentes, devendo levar documentos para cadastro.

A secretaria salienta que mudas para reflorestamento, por ser quantidade grande, precisa de uma autorização prévia da pasta, e tem as seguintes espécies:

Arborização – Oiti, Alecrim de Campinas, Murta, Manguba, Pau Ferro, Pata de Vaca, e as quatro cores de Ipê;

Frutíferas – Cupuaçu, Jambo, Açaí, Uvaia, Pitanga, Amora, Goiaba, Tamarindo, Bacupari, Guaraná, Caju;

Nativa e de Reflorestamento – Ipê Roxo, Cumaru/Champanhe, Itaúbas, Jenipapo, Catando, Seringueira, Ingá, Jatobá, Cerejeira, Peroba Mica.

A informação é da assessoria.

Só Notícias (foto: assessoria)